Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Eu. Não. Existo. MESMO.

por Fátima Bento, em 06.01.18

Bom, vou desbundar-me à séria.

Isto é assim: eu sou a coisa mais despistada deste mundo e arredores. Meeeeesmo a sério. Diz o terapeuta que é muita merda coisa a exigir atenção na minha mente ao mesmo tempo, e esta faz uma seleção natural.

Ora aqui nem a seleção  nem o natural  têm obrigatoriamente nada de lógico.

Ou sequer de amiguinho.

Tipo vou comprar comida para as gatas ao hiper, que fica a 5 minutos de carro de casa,  e dou comigo a entrar na autoestrada, cuja primeira saída fica a 15 quilómetros... esse tipo de coisas básicas e simples que acontecem a toda a gente #sóquenão (tá-se mêmaver, não tá-se?...)

 

Guardar os óculos dentro dum tacho, no respetivo armário, as chaves numa gaveta da arca, o telemóvel no frigorofico? Isso é para meninos.

 

Eu quando me despisto é com um panache épico.

 

No dia em que fui conhecer o Triptofano - fui, juro que fui! - combinámos nas escadas principais da Estação do Cais do Sodré. Sinceramente não me lembro da hora, mas vamos pensar que foi às 17:00h, que não deve estar longe. Cheguei um niquito mais cedo (pouco provável), ou em cima da hora (...uh...) ou um nadinha atrasada (é capaz de ter sido mais isso). Enviei uma mensagem e esperei. E fomos trocando mensagens ocasionais, e eu na minha doce tranquilidade - já que sou aquela pessoa que, se combinarem comigo às 16h e aparecerem às 18h, desde que tenha material de leitura, não me preocupo minimamente em esperar. Até que um de nós tem um epifania (adivinhem quem - começa por T) e surge no meu monitor

 

Mas estás aí agora???? Não tínhamos combinado para amanhã?

 

 

Ora quem conhece o querido Trip, pode imaginar a aflição que terá sentido. E eu Ah, pois foi, enganei-me!, tipo, olha, mais uma vez, fazer o quê, carpe diem, e coiso. Tive de o convencer que a culpa era toda minha, já que mesmo com os emails que trocámos à frente, preto no branco, prova de que era  in fact, no dia seguinte, ele estava num embaraço que só visto.

E no dia seguinte lá nos encontrámos e o resto é história.

 

AGORA, este fim de semana, a Happy e a minha pessoa combinámos uma ida ao cinema. Filme escolhido, hora de encontro marcada, tudo acertado na sexta, e se falássemos com o Trip? Eu saco do telelé, e combino tudo muito combinadinho, porreiro, maravilha, os astros alinhados estavam e, íamos finalmente poder estar os três/quatro juntos!

 

Nisto liga-me o meu marido e eu digo-lhe: já combinei com o Trip ele também vai ao cinema amanhã. E diz-me o homem: mas o cinema não é no domingo?

 

Juro, caiu-me TUDO ao chão. T-U-D-O.

 

 

Segunda calinada com a mesma pessoa? O Trip só podia pensar que eu estava a gozar com ele!

Tratei de desfazer o equivoco - e espero ter conseguido... - disse-lhe que me tinha enganado no dia, a mais pura das verdades. Se não fosse o Victor, eu estaria lá no sábado! Whatsappei a Happy a pô-la ao corrente da asneira que tinha feito.

E pronto: hoje ela não podia que está longe (e gelada) e amanhã ele(s) não pode(m) porque tinha(m) um compromisso prévio.

 

Fátima Bento, a dar calinadas épicas desde 1967...

 

jiFfM.jpg

 

Mas já está tratado:o meu cérebro vai ser doado à ciência...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O restaurante mais exclusivo de Lisboa

por Fátima Bento, em 13.12.17

O convite surgiu-me envolto em mistura, quais vapores de azoto... e eu, que adoro surpresas, aceitei de imediato!

Honestamente ele viu-se grego para conseguir mesa - as reservas estão permanentemente esgotadas.

A sala não sendo grande, e cosy banhada por luz natural - e estava um sol de dar gosto!

 

Aquando do convite, não recebi muitos pormenores, e foi-me enviado o menu na véspera

 

Feno, Pedras e Mar 

Vieira da Silva 
Imperador da Bolívia
Sinaloa, França
Sol de Inverno
 
Prometia a surpresa que eu desejava... só faltou vendar-me os olhos!
 
Depois do aperitivo - um Madeira Tonic com orange zest, passámos à refeição mistério... 
 
Começámos então por Feno, Pedras e Mar, prato constituído por ostras fumadas no feno, flan de couve flor, mignonette e salada de agrião

20171206_132748.jpg

A ostra estava deliciosa - eu que nem sou fã de cebola crua (é uma das minhas embirrações de estimação) digo já que combinava divinamente. E a salada equilibrava o adocicado do flan.

 

Como segundo prato, foi-nos apresentado então Vieira da Silva - Soufflé de vieira, cracker de camarão, óleo de aipo, puré de beterraba, espuma de cenoura, puré de cherovia e floretes de bróculos (prato da responsabilidade do Chef Mais que Tudo do nosso Trip)

20171206_135118.jpg

Aqui a assinalar pela negativa. só mesmo a fotografia que merecia estar melhor: no prato todos os elementos se completavam num equilíbrio perfeito. Brava, brava!!!

 

O terceiro prato, Imperador da Bolívia era composto por imperador grelhado com romesco de amendoim, barrigoule de beringela, espinafres salteados, cogumelos, servido com pão de mostarda

20171206_141222.jpg

Absolutamente perfeito! O meu prato principal favorito. Tudo, do molho de amendoim ao pão de mostrada, estava delicioso, e o peixe grelhado no ponto. 

 

Continuámos então com Sinaloa, França - Carré de borrego com o seu jus, nougatine, taco de borrego, salsa borracha, batata duchese e molejas

20171206_143044.jpg

Aqui EU tive um problema que não se prendeu com a conceção do prato... "como é que como isto?" Foi uma luta... vira para um lado, para o outro corta daqui, dali, e no final, as costelas levaram muita carne agarrada quando voltaram para a cozinha. Mais tarde fui informada que a forma correta de comer tal isso é à mão. Num Michelin, ou similar, a carne vem preparada para ser facilmente degustada com o uso de talheres, mas em casos como este, é mesmo à mão... não tira isto mérito ao prato, de todo! E as molejas (uma estreia para mim) estavam deliciosas. Eu é que sou bimba...

 

Por fim,  a sobremesa, Sol de Inverno que consistia em blinis de chocolate, gelado de marmelo, diospiro com maple, caramelo de maracujá e madalenas.

20171206_145102.jpg

Não me paçam para escolher o que mais gostei da seleção de sobremesas, já que gostei de tudo!

 

Foi magnifico, e na melhor das companhias, a tempo ainda de umas repenicadas beijocas de parabéns, já que tinha celebrado 31-aninhos-29 na véspera.

 

P.S: Adorei conhecer o Chef Mais que Tudo, e pude vislumbrar a pessoa bonita que é. 

 

Aguardo o nosso próximo meeting :)

 

Este post está a ser publicado ao mesmo tempo que a impressão do Trip sobre a experiência. Passem no blogue dele e comprovem!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Andávamos a falar em tomar um café e eis que começa a Rota de tapas... juntar 2+2 foi fácil... o difícil foi escolher! Mas escolhemos tão bem!

As moelas estavam um mimo, e a cerveja Estella Damm aprovadíssima - e eu sou A mecinha que não gosta de cerveja...

Como a conversa estava longa e animada, experimentámos a cerveja artesanal da casa - o bar Castro Beer na Rua de S. Paulo, ao Cais do Sodré - que é uma maravilha! Tem um aroma de frutos absolutamente delicioso!

 

Agora a parte mais importante do final de tarde de ontem foi mesmo a companhia! Vejam se adivinham quem conheci:

José.JPG

 

 

Vá, todos em coro:

 

Olha o macaco José!!!

 

E de quem é o macaco José?

 

Do Triptofano!!!

 

Pois que digo-vos já que ele é super: super querido, super tudo. Sabem aquelas pessoas que vocês conhecem, faz clique e vocês querem ficar amigos para siempre?

Ele é mesmo isso tudo e mais o que puderem imaginar. Estivemos horas à conversa e nem demos pelo tempo passar - e há melhor termómetro emocional que esse?

 

Adorei, e repetiremos em breve.

 

Daqui envio um beijo super repenicado para ambos, Triptofano e José!

 

A blogosfera tem destas coisas: conhecemos pessoas fantásticas!

 

Foi assim um dia super!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Instagramem-me:





bloglovin1.jpg

 


Sigam-me aqui: