Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

O dia da mãe dos meus filhos

05.05.14 | Fátima Bento

Não era suposto o post anterior ficar aqui a planar na minha homepage estes dias todos, mas com o feriado, depois a sexta feira que o marido pôs de férias, o sábado, e ontem, olhem, não houve maneira.

[Ainda para mais que os medicamentos prescritos na passada na quinta feira têm uns efeitos de adaptação... chatos, mas que não deixam de ter piada... sono, muito sono... moleza, muita moleza... isto lá para meio desta semana esbate-se mas por enquanto ando mais parecida com as minhas gatas de que é costume :) ]

Bem, então passemos ao que interessa: o meu dia enquanto mãe.

Começo já para falar do meu mocinho-que-está-quase-a-virar-adulto: decidiu, e porque não tem jeito para comprar prendas - há-de ter, garanto! - propor-me como prenda do dia da mãe sairmos, irmos lanchar, passar tempo juntos, que, diz ele, é o mais importante. EU SEI que ele gosta muito de passar tempo comigo MAS também sei que é uma bela de uma dose de preguiça, mas, pronto, é um querido. 

Depois: almoço em casa da sogra, eu levei uma garrafa de rosé 'só p'ás mães', e quando a minha sogra fez uma careta a dizer que não queria beber, por causa das tonturas e mimimi, 'qual quê! Bebe, e se ficar tonta deita-se e dorme o resto da tarde!' Trigo limpo farinha amparo. Bebeu assim uns dois dedos, mas esteve tão bem disposta o almoço todo que deu gosto! Recebeu do meu marido uma latinha para pôr os pacotes de açúcar ao lado da nespresso, azul, coisa mais lindaaaaa (a ideia foi dele, que eu estava a endoidar com o-que-é-que-vou-comprar-para-darà-tua-mãe? e a escolha foi minha).

Eu, é pá :D eu...

Da gajinha que mora na terra dos bifes: às onze da manhã tocaram-me à campaínha:

Ô coisa mái boa!!!!!! Eu adoro receber flores (e tinha na minha bucket list entregarem-me flores em casa) - e ainda por cima da filhota! ADOREI!!!!!!!
O maridão já me tinha ofericido um mimo muito 'doce mal me levantei:
Um marcador de livros em inox, lindo, lindo! Os 50 títulos (não os 50, que já li alguns, mas os restantes) vão para a bucket list, também.
Ah: da mãe(eu) para a mãe(eu), foi o livro da Sónia, 'A culpa não é sempre da mãe', e as minhas meninas de quatro patas ofereceram à mommy e avójinha um top que diz 'Blog Queen'.
Claro que o dia da mãe não só os presentes! Mas ontem, tirando o almoço, que foi mesmo divertido, mal cheguei a casa desabei na cama... e tungas. Ferrei. À noite eu e o marido vimos o Robocop deste ano - não é mau... nem bom... tem o Gary Oldman. Também tem o Samuel L. Jackson mas... tem o Gary Oldman. Por isso, vi, claro que vi. 
E depois quando me deitei, ainda li dois capítulos (o livro está quase no fim, e estou num frenesi danado, mas o sono bate-me aos pontos! É que neste momento devo levar uns 70% do meu dia de pestana fechada, nos braços do Morfeu - a contar com a noite, claro...)
E foi assim. Um belo dia :)

Para ti, 'mãe-zinha'

01.05.14 | Fátima Bento

Eu sei que o dia da mãe é só no domingo, mas eu não resisto. Ontem olhei para trás e lembrei-me.

Há 20 anos e uns pozinhos (fará 21 em Outubro) eu e a minha ametade demos o nó. E ao contrário do que vou lendo e ouvindo por aí, a minha história foi diferente.

Escolha da data: pois que eu queria 2 (faria 25 anos nesse dia) mas como na segunda era feriado, temia-se ponte. Adia oito dias? Nem pó, se caso a 11, fartam-se do gozar comigo no trabalho! Ok, mais uma semana e... fomos para mesmo em cima do aniversário do pai 16. Giro! Ficou 16.

Escolha do catering: Havia um restaurante de que gostávamos os dois, Fomos lá mais duas ou três vezes, e chamámos o dono, Vimos a sala, e contratámos, escolhendo o menu sem dificuldade, e um bolo... ai o bolo... bem foi há 20 anos... aquilo era só pontes entre os andares... ai, só faltava uma sevilhana no topo (e eu c'a mania que sou fina... ;P)

Escolha dos fotógrafos e reporteres de imagens:  a mana e o cunhado! A minha irmã (vídeo) e o marido eram (e ainda são) considerados dos melhores!

Escolha dos convites: fomos ambos a uma papelaria e escolhemos a coisa mais sóbria  - e sim, fina, em contraste com o bolo - e mandámos imprimir.

Compra do MEU vestido: a passear por um pequeníssimo centro comercial vejo um vestido de noite de duas peças num cabide. P'er'aí... entrámos, experimentei. saí da cabine: o que achas? gosto! Fica-te muito bemComprado. 23 contos (uma ninharia, mesmo há 20 anos atrás)

Compra do fato do noivo: dos sapatos aos boxers, tudo a dois. O fato, passámos a limpo os cadernos de tendências que pululavam por minha casa, escolhemos, alterei, levámos ao alfaiate. Voilá. Camisa de smoking às riscas cinza e branco foi um castigo. Plastrão e faixa: com jeitinho demos a volta ao alfaiate para improvisar, que não era a área dele.

 

No dia 15 de Outubro às 23 horas estava a noiva - eu - ao telefone a ultimar os números e preparativos com o dono do restaurante. NO dia seguinte às 8:00h, tinha de estar na Isabel Queiroz do Vale (o pai levou-me). Quando voltámos, parámos na florista, saí a correr do carro e fui buscar o bouquet. Deixou-me na mana, onde à hora marcada estava em lingerie.

Score!

E O QUE É QUE ISTO TEMA VER COM O DIA DA MÃE?

Então não repararam, na quantidade de referências que fiz à senhora no relato? Então NÃO VÊEM que sem ela nada disto tinha sido possível? Então NÃO VÊEM a importância que a MÃE DA NOIVA teve no evento? De tal modo que NEM FOI AO CASAMENTO!

Portanto, este post é para a minha mãe.

Por antecipação, que no dia 4 não vou perder 1 segundo a pensar n'A SENHORA.

 

(obrigado por me teres feito a pessoa que sou hoje por oposição a tudo o que sempre foste e fiz questão de nunca ser. Não é para todos!)

Rear car (cheesy) bumpersticker

01.05.14 | Fátima Bento

Sério.

O que vou escrever a seguir é batido-c'umás coisas batidas, mais que cliché, piroso, etc. etc...

Mas, já por aqui algures disse, há poucas coisas em que acredito. Numa delas eu acreditava, mas assim com algum cepticismo...mas ontem foi-se a desconfiança.

NADA.

ACONTECE.

POR.

ACASO.

(já já dizia o tio Einstein, mais ou menos por estas palavras...)

É um conforto e tanto acreditar nisso. Mas como o Tomé que dizia que tinha de ver para crer, também eu ontem tive de levar com aquilo que eu considero um pequeno milagre (à minha escala) para perceber que é MESMO verdade...

Pág. 3/3