Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

25
Jun18

Estou mesmo farta disto...

Fátima Bento

transferir.png

 

Viram o post que publiquei antes deste? Ontem à noite já não era assim, o ex Presidente deu o dito por não dito e decidiu impugnar(???) a AG de dia 23. E acabei de ouvir no rádio que o Presidente da SAD, Sousa Cintra, não está a conseguir entrar nas instalações do Sporting.

 

Vontade de dizer eles que se entendam ? Há, então não há? Eu nem sequer sou do Sporting - nem de nenhum outro (tentei mas não consigo, torcer e sofrer, só pela Seleção das quinas) Mas este é um problema, na minha opinião, de todos nós, que gostamos de futebol, de desporto. O Sporting é uma instituição e é criminoso o que aquele gajo está a fazer!

 

Mas não tenciono voltar a falar nisto nos próximos tempos. Irra, senhores!!!

24
Jun18

O BdC que dizia amar o Sporting

Fátima Bento

SPORT.PNG

(clicar na foto para ler a noticia)

 

Sabem quando os miúdos estão a jogar a bola e depois de sofrer dois ou três golos o dono da bola agarra nesta e diz "assim não jogo mais, vou mas é para casa", e vira costas?

 

A diferença aqui é que não são miúdos (ou não deviam ser) e o "dono da bola" não era dono desta e como tal, não a levou para casa...

 

Se isto é amor ao clube, vou ali e já venho... 

 

Feito-de-Sporting.jpg

 

23
Jun18

O gatinho: a aventura começa...

Fátima Bento

Ontem ao meio da tarde o pulguinha entrou na minha casa (reparem que está em minúscula, não é o nome, é um apelido...); vinha assustado, e ficou uma hora ou um pouco mais ao colo, a criar laços. Saí, regressei, e voltei a colocá-lo ao colo. Comeu bem - meia lata de Gourmet para crias! - e quando chegou a hora de dormir, foi para a cama connosco.

 

Parêntesis: se eu comecei por estar apreensiva com a reação das minhas duas ao pequenote, nesta altura estava mesmo muito assustada com a forma como a Mia se sentiria por ver a cama - que é o território dela - invadido pelo gatinho.

 

Acabei por colocá-lo entre mim e o Victor, e a Mia ocupou o lugar do costume, do lado exterior do espaço onde durmo. Nesta altura surgiu-me o pavor de o Victor se virar e esmagar o piolho... consegui pensar em pô-lo sobre a almofada que uso debaixo das pernas quando leio, onde primeiro coloquei a minha camisa de noite (por ter o meu cheiro). Assim mesmo que a minha ametade se virasse, não havia risco.

 

ó-ó.jpg

 (atrás dele, as costas do Victor)

 

Virei-me para a Mia, fiz festinhas, foi-se embora. Voltei-me outra vez para a almofada e fui dormindo aos bochechos: ou era o pequenino que levantava a cabeça e começava a procurar-me (durante uns minutos dormiu sobre a minha bochecha), ou que caía da almofada para se encostar a mim... eu adormecia, e quando voltava a acordar, a Mia estava nas minhas costas... retorcia-me para lhe fazer festinhas sem me virar - senão ela ia-se embora, e eu não queria que se sentisse posta de lado...

 

Ou seja, noves fora nada, às 6:00h, quando o Victor acordou, eu não tinha dormido quase nada e tinha a cabeça a querer sair disparada do meu pescoço. O pequeno, nesta altura ligou o volume no máximo e eu atrás dele... até gatinhei para a marquise, para não o assustar com o barulho de levantar o estore. E ele ia para a cozinha, e miava para a parede, por baixo da janela, e procurava uma saída (a família estava do outro lado, e ele sentia-o). Segurei a situação durante quase uma hora e cedi; puxei a casota, pu-lo dentro e desci-o (e mais um pedacinho do meu coração): os irmãos apareceram a correr, e mais os outros todos, mãe inclusive. Dei um pequeno almoço antecipado à malta toda e depois de comerem, a mãe começou a lambê-lo. Voltei para dentro triste, mas disposta a aceitar que as coisas quando não têm remédio, remediadas estão.

 

Fui ao quarto do Tomás que chorava pelo gatinho (estava mesmo desesperado...) e depois fui-me deitar, a ver se conseguia, finalmente, dormir. Adormeci e duas horas depois acordei com um grito do gatinho vindo da rua (eu encaixo tão bem o papel de mãe, rásmapartam). Levantei-me o mais rápido que pude e fui à janela: o pequenino estava ao colo da minha vizinha do rés do chão ao lado: tinha saído do quintal da esquerda, e ido para o da direita (será que andava à minha procura??) e fora surpreendido pelo bom do cão Sam que não lhe fez mal mas não achou muita piada... e pronto: desci as escadas e trouxe-o outra vez para cima - e finalmente está a dormir há meia hora. Não vê um boi, mas alguém o segura?

 

Michel.jpg

 

Já lhe chamei Michel (mas o nome não é definitivo), por causa da frase "Michel, tu vas tomber, Michel! que eu o Victor usamos em tom de brincadeira por tudo e por nada, e que me fartei de repetir, porque o rapaz coloca-se em cada situação que só não se esbardalha porque eu ando atrás a amparar a coisa - e mia que nem um doido!

 

Mas é um docinho 

 

Acordei o Tomás - que com isto tudo não dormiu quase nada - para ir trabalhar e ele ficou feliz, feliz! 

 

E desta vez não o vou pôr lá fora nem que a vaca tussa. Quer miar? Pois que mie.

A sobrevivência dele depende de ficar connosco. Cego dos dois olhinhos, não terá hipotese...

 

22
Jun18

Este Verão eu vou...

Fátima Bento

 

Tag.PNG

 

Resolvi criar este tag consiste em fazer uma lista de 10 coisas que pertende fazer este Verão.

 

Regras:

  1. Agradecer a quem o nomeou, fazendo uma ligação para o blogue em questão;
  2. Fazer uma lista de dez coisas que gostaria de fazer - e que sejam exequíveis - este Verão;
  3. Nomear cinco bloggers para fazer o mesmo.

 

E então, as dez coisas que quero fazer este Verão, são:

 

  • Fazer as férias do costume no lugar do costume... dolce far niente all the way! Vão ser só seis  dias, e vamos de Mia atrelada, mas ainda assim, são dias de puro descanso;
  • nadar, nadar, nadar; flutuar, flutuar, flutuar!
  • beber um mojito junto à piscina no final do dia;
  • visitar uma praia fluvial;
  • ir à praia, ficar de papo para o ar (nós, o sol e os protetores: 50 para o rosto e 50 para o corpo...);
  • fazer uma refeição num bar de praia;
  • ver o pôr do sol enquanto bebo um cocktail;
  • comer uma bifana (e uma fartura) nas festas da terrinha;
  • fazer um diário com todo o tipo de registos: cartões, bilhetes, talões, flores secas...
  • tirar muitas fotos!!!

E quem eu nomeio:

a Happy, a Marquesa, a Gorduchita, a 3º face, a Edite (editado porque os hiperlinks não funcionaram à primeira...)

 

(sinceramente, fico com pena de não nomear mais, mas eu sei que @s visad@s acabarão nomead@s)

 

#OVerãoChegouYeah

22
Jun18

Fobias e pavores

Fátima Bento

S25.PNG

 

Quando era miúda, tinha pavor de insetos - principalmente de gafanhotos e louva-a-deus. Pavor a ponto de desmaiar! Uma vez, na escola, puseram-me um gafanhoto dentro da camisola e eu acabei estendida no chão - depois de ter gritado e esperneado... quando fomos a ver, não se encontrou mais de que uma pasta de gafanhoto, tal não foi a esfrega que lhe dei, pobrezinho... depois fui pedir à professora para não fazer queixa do meu colega, que ele não ia adivinhar que eu tinha a fobia, e era só uma brincadeira. Parva, mas uma brincadeira. Depois falei com a DT, e ele não foi castigado. O rapaz, Francisco, era mulatinho, ainda me lembro do rosto dele branco como a cal da parede quando viu a minha reação, acho que é a última imagem que guardei, antes de cair para o lado...

 

Agora os gafanhotos já não me incomodam, e nunca mais me cruzei com um louva-a-deus, mas gostava. Provavelmente, agora, ficava a admirar a beleza do inseto - é arrepiante, mas muito bonito. 

 

De resto, não tenho fobias. Nem de alturas, nem de espaços fechados... não conseguiria, no entanto, enfiar-me naqueles túneis em que só cabe um corpo, a rastejar - tenho a impressão que aquilo colapsaria sobre mim... mesmo que desembocasse na mais bela das grutas (estes túneis estão muito presentes em espeleologia).

 

No entanto, isso não é algo que tenha de me confrontar. O único pavor real que tenho é de me ver envolvida num acidente de automóvel, daqueles que mandam o carro para a sucata. Nunca penso em mim, só penso no carro. O meu terapeuta teria uma teoria e eu até sei qual é... 

 

Neste TAG participam para além de mim, a Happy, a 3ª face, a Ana, a Ana Paula, a Catarina, o Carlos, a Carlota, a Charneca em Flor, a Daniela, a Desarrumada, o David, a Gorduchita, a Hipster Chic, a Isabel, a Mãe A, a Mariana, a Maria Mocha, a Marquesa de Marvila, a Mimi, a Paula, oP.P, a Sweetener, a Sofia, a Tatiana, a Tita e o Triptofano 

(nomes ordenados alfabeticamente)

Espreitem o que cada um de nós vai respondendo ao longo do ano também podem espreitar pelo tag  52 semanas

 

22
Jun18

Eu e gatos, gatos e eu... cada história...

Fátima Bento

banhear.png

 

Lembram-se de eu ter contado que a gata azul foi buscar os filhotes faz esta noite duas semanas? Pois que três dos quatro (os da foto que está no Instagram), já há uns dias que sobem e comem com  os residentes do costume - que, de resto, não lhes tentam roubar a comida... é um pessoal muito civilizado... - mas o quarto, um gato branquinho, não subia. 

Hoje, finalmente, subiu... e vai-se a ver, é cego das duas vistas!!!!!

 

Dei comida aos dez - estavam aqui todos - e quando voltei para dentro mandei uma sms ao Victor a contar-lhe.

Resposta: "Apanha-o!..."

 

(para quem se admira como é que vamos fazer 25 anos de casados: é por estas e outras... mal um pensa mata, o  outro grita logo esfola...)

 

E pronto: já falei com a minha vizinha que vai ver se os miúdos que jogam à bola (e a vão buscar quando cai no quintal), o vão buscar... e mo entregam. Depois vai ser a incontornável visita ao veterinário e pronto... isto a pouco mais de um mês das férias, é complicado, mas a gente dá um jeito... a Mia tem de ir connosco, mas o Tomás pode ficar com a Piccolina e o pequenino. Tenho uma que não tem um olho, agora vou juntar-lhe um gato que não vê de ambos...

 

Nesta casa toda a gente é especial!

21
Jun18

Sunshine Blogger Award #4 - perguntas da Edite, d'O Livro Pensamento

Fátima Bento

transferir (1).jpg

 

E desta vez foi a Edite que me nomeou.Obrigada!!!!

Conhecem o blogue da Edite? Se gostam de livros, e de os ler faz favor de o visitarem - com certeza que não vão ficar dececionados!!

 

Sem mais delongas, vamos às suas perguntas e às minhas respostas.

 

1. O que sentiste por teres sido nomeada?

 

 Fiquei muito contente. Adoro desafios e quem é que não gosta de estar presente na mente dos autores dos blogues que seguimos e/ou visitamos?

 

2. Se com esta nomeação recebesses um prémio, qual seria? Porquê?

 

 O Prémio Teimosia. Por andar há 13 anos a bloggar aqui no Sapo e apesar de ter pensado muitas vezes em desistir - às vezes uma pessoa perde a capacidade de engolir, passo a redundância, sapos; toda a gente gosta de ver o seu trabalho ser reconhecido, e se vejo posts serem destacados duas vezes na mesma semana, o meu último destaque foi no dia 24 de Março... - nunca desisti (bem sei que há mais quem não seja destacado frequentemente, mas aguentar 13 anos disto... dá-me direito a um Prémio Teimosia!) Felizmente que quem me segue, e quem lê o que eu escrevo, me dá muito apoio e vontade de continuar...

 

3. Qual foi a situação mais hilariante que presenciaste?

 

 Bem, a última vez que chorei a rir, e não conseguia parar, foi a ler o post A diaba, histórias de uma diva, no blogue da Marquesa de Marvila. Como consigo visualizar o que leio com muita facilidade (como de resto, muita gente...), já o li três vezes e fui às lágrimas em todas. 

Agora não me consigo lembrar de nada que tenha presenciado... talvez dos mais engraçados tenha sido o que descrevi aqui, e do qual fui protagonista...

 

4. Qual é o assunto que mais te irrita hoje em dia? Porquê?

 

 Volto e meia falo nas minhas irritações, por isso aqui vou mencionar a que nestes últimos dias tem revoltado toda a gente, e que tem a ver com a separação das crianças na fronteira americana. É que não há palavras. Não há. Bem quero escrever sobre o assunto, mas não consigo... 

 

5. O teu blogue é o teu refúgio ou o teu vício?

 

 Nem uma coisa nem outra: é como se fosse uma tarefa prazerosa que me obrigo a cumprir. Um fio condutor que me liga os dias. E um registo para memória futura (e as vezes que eu já consultei o Diário de uma dona de casa para confirmar dados e datas, certifica que resulta)

 

6. O que te levou a criar o blogue?

 

 Respondi aqui, mas resumo: para escrever e ser lida. E não me sentir tão sozinha - na altura tinha duas crianças pequenas e estava um bocadinho limitada, nem sequer conduzia... assim sempre organizava as ideias, e falava de outra coisa que não apenas com - e de - filhos...

 

7. Que livro estás a ler neste momento?

 

 Cartas da Toscana. Já o teria acabado, não fosse o camadão de sono que me assola quando me deito... e hoje até era dia de ler uma hora inteira no comboio, mas decidi comprar a Visão, e nem o levei comigo. Estou a gostar, é leve, um excelente livro para ler na praia ou na piscina.

 

8. Qual é o teu livro preferido de sempre?

 

 Esta é uma das perguntas mais difíceis de responder do mundo... tal como autor preferido, a escolha é imensa! Mas vou ter de dizer que é o primeiro livro que adorei - e que adoro até hoje: Drácula, de Bram Stoker.

 

9. Como é que o blogue influencia o teu dia?

 

 É mais ao contrário... quando o meu estado de espírito está em baixo, não consigo escrever... ora como não tenho o hábito de agendar posts, é a bandalheira... os tags mudam de dia, e se consigo escrever alguma coisa, é algo insosso e sem alma... é muito fácil medir-me o pulso através do blogue... certo que há dias em que o tempo não chega para tudo, mas quando a coisa dura mais de 24 horas, ela não está muito bem...

 

10.O que achas que falta na blogosfera portuguesa?

 

 Não conheço um número de blogues que me permita chegar a uma conclusão. Nem arrisco...

 

11. Se ganhasses o euromilhões qual era a primeira coisa que farias?

 

 E é que não sei! Podia dizer que marcava já 'N' viagens - ou A viagem - mas não posso largar a minha Mia, e a ideia de a levar comigo em Agosto já me atrofia (e se quero ir de férias, não tenho alternativa), com o receio de que ela reaja mal, embora estejamos a falar apenas de 200 km... já disse algures que punha o meu carro na marca e substituía tudo, das borrachas aos estofos, porque preferia continuar com o Rocinante de que um carro novo - mas duvido que fosse a primeira coisa... também construiria um santuário para gatos, mas também demoraria tempo... é que não sei. Mesmo.

 

 

20
Jun18

Ai, Marcelo...

Fátima Bento

Marcelo banner.png

 

Vi há pouco que o nosso presidente vai atuar no Rock in Rio.

 

Trocadilhos à parte, são os Xutos que vão atuar, no Palco Mundo e ele só vai fazer coro  n'A minha casinha, em homenagem ao Zé Pedro.

 

É só a mim que esta postura do Marcelo já parece excessiva? É que me começa a trazer à ideia o anúncio do velhinho que está no lar e bebe coca-cola zero pela primeira vez... não sabem do que estou a falar? espreitem abaixo...

 

 

Menos, um nadinha menos! 

 

Alguém o lembra que, afinal de contas, até é Presidente da Republica? 

 

(ou será que a viatura onde se encontra já perdeu completamente o sistema de travagem?)

 

20
Jun18

Nós as gordas, gostamos de sapatos altos

Fátima Bento

gold-shoes-heels.jpg

(via)

 

É fatal cum'ó destino! Gorda que é gorda gosta de se sentir (mais) alta. 

E isso é um reflexo correto: os sapatos altos aprimoram a postura e, de facto, alongam a silhueta. Vamos dividir isto em três partes:

 

Esteticamente falando, como digo acima, resulta. Eu espero alegre e ansiosamente a altura do ano de pôr os dedos de fora para ficar dez centímetros mais alta! Importante: que sejam confortáveis. Só calço cunhas, e com salto ergonómico (com a sola ligeiramente curva). Tenho umas sandálias Guimarães que ainda acrescentam uma palmilha muito fofinha que aumenta o conforto.

 

Portanto, no que diz respeito ao conforto, as duas coisas mais importantes são a palmilha e a curvatura da sola. E se por acaso anda em chão liso (há zonas da calçada portuguesa que quando o sol lhe bate parecem espelhos de tão polidos!) peça ao seu sapateiro para aplicar umas meia solas anti derrapantes - assim evita tralhos (eu fico aterrorizada perante a hipótese de um encontro imediato com o chão...) 

 

Fisicamente falando, esqueça os saltos finos - se o seu corpo falasse cada vez que calçasse uns, insultava-a (e se estiver atenta vai reparar que ele tem maneiras de se fazer ouvir...) A última vez que arrisquei tal isso, foi para ir do quarto de hotel ao restaurante - e era buffet... vá lá que não foi preciso descalçar-me (o que não me incomodaria nem um pouco, mas arruinaria o visual, e era um aniversário...)

A matemática é fácil: o nosso peso todo assenta nos pobres pés. Se começarem a doer, vai ficar com um andar muito estranho... e pior, nota-se no rosto, como me disseram uma vez (ainda era magra) quando aterrei numa sapataria para comprar uma qualquer alternativa que me tirasse aquelas coisas dos pés (e os em causa nem eram altos - mas magoavam!). A moça disse-me, é que bastava olhar para si para ver que estava com dores! Dores nos pés, à conta de calçado mal escolhido, é assim como tentar enfiar automóvel, atrelado e barco dentro de uma garagem para um carro pequeno...

 

Psicologicamente: faz maravilhas pela nossa auto imagem. Ficamos a sentir-nos mais magras e longilíneas. Mais direitas, mais seguras. Devíamos sentir-nos sempre assim, mas a verdade é que isso não acontece. E depois notamos que os outros têm muitas vezes reações diferentes connosco - segredo: não tem nada a ver com o que temos nos pés, nem com a nossa altura aumentada: tem, sim a ver com a postura, que nos confere uma aura de confiança. O que remete para aquela história de estarmos bem connosco próprias e agirmos como se nos fosse devido tudo o que de bom a vida tem para  dar... mas este post não é de auto-ajuda, nem se pretende que seja uma mão cheia de clichés!

 

De qualquer maneira pensem no assunto...

 

Dica prática: se calçam um número normal, no Inverno escolham cunhas ou saltos com bom apoio - experimentem e andem dentro da loja. Se, como eu, calçam o 38 e meio (ou qualquer outro e meio), esqueçam isso e fiquem-se pelos saltos baixos ou com o máximo de quatro centímetros. E de preferência botas!

 

E um truque: vocês pegam na boa da sandália, enfiam a dita cuja nos pés e levantam-se. Façam uma rotação de ombros para trás. Estiquem o pescoço, como se uma corda estivesse a puxar do alto da cabeça, na vertical. Deixem-no voltar à sua posição mais confortável. É essa a postura que quer! Pode baixar a cabeça à vontade mas mantenha a coluna assim. E os ombros para trás (além do mais faz maravilhas pelo decote - mesmo que não tenha nenhum)

 

Mas sapatos altos são o meu nome do meio... também gosto de sabrinas, mas arruínam a coluna a qualquer um (também convém ter isso em conta...) - e vivam as sapatilhas que agora dá para usar com tudo! Mas nada como as minhas sandálias!!!!

 

E vocês, concordam comigo ou estou a extrapolar? E não é preciso ser gorda para falar, basta olhar para as outras...

 

#nósasgordas

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

...porque outubro é quando quisermos...

mini.JPG

 

Pesquisar

A ler agora

O passado.png

 

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sigam-me aqui:

Bloglovin.JPG

 

Instagramem-me:

Aqui e agora