Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porque Eu Posso 2.0

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso 2.0

... e 'mái nada!

  Eu disse que falaria sobre O Desaparecimento de Stephanie Mailer, um dia destes... pois bem, hoje é o dia.   Mas primeiro, tenho mesmo de falar de Joël Dicker. Para mim é mais fácil começar por falar do escritor que do livro - desde que não seja uma primeira obra.   Ora Dicker arrebatou-nos com A verdade sobre o caso Harry Quebert: acho que não houve quem não gostasse. A forma de escrita é a mesma, calma, descritiva, como se o autor tivesse todo o tempo do mundo. E (...)
10 Set, 2018

Surpresas boas

De compras no hipermercado dei, naquele dia, com uma pilha de livros com menos 50% e 60% no preço de capa. Trouxe dois, "A Filha Desaparecida", ainda por ler e "A felicidade é um chá contigo". Em relação ao último, confesso que li a sinopse na diagonal (se é que o fiz...) , e decidi-me por ele, fundamentalmente, por estar mencionado o sentido de humor da autora, e garantir diversão: livros que nos façam dar gargalhadas não são muitos, e tantas vezes são o remédio certo (...)
 - Centro geodésico de Portugal, Vila de Rei   Em retrospetiva, as férias tiveram coisas muito boas, a saber:   Comi que nem uma lontra. A serio... o meu excesso de peso não vem das refeições que faço, tanto quanto dos doces que ingiro, ansiedade oblige. Agora estas férias andei num virote gastronómico - e não deixei o crédito por mãos alheias: dos quatro quilos extra que trago, quatro mil gramas derivaram dos almoços e jantares mais copiosos e regados a branco ou rosé (...)
  Ontem estava em dia não, como de resto tem sido habitual, e (digo hoje) peguei nos limões e fiz limonada: li A vidente de uma ponta à outra! Eu, que me tenho em conta de ser uma slow reader, li o livro inteiro em meia duzia de horas!!! Continuo a achar que ler 20 livros numa semana(como acabei de ler que uma mocinha e sua mãe fizeram, entre ambas, de férias na Grecia - bem podiam ter ficado em casa...), é uma imensa loucura. Hoje não tenho intenção de ler nada já que, se (...)
    Estreei-me, direi, pela porta grande, com Stieg Larsson. Amei a trilogia Milenium, tanto que parei n'A rainha no palácio das correntes de ar e não li nenhuma dos volumes seguintes, que me têm dito ser bons. Sim, mas não são dele. Depois li Nesbo. Ó meus amores, fiquei a odiar este autor! Ou tive muito azar com O morcego, ou não sei... como a vida é muito curta para insistir em ler o que me cai mal, li meia dúzia de capitulos e pus de lado. O Victor lá leu, mas (...)
Estreei-me, direi, pela porta grande, com Stieg Larsson. Amei a trilogia Milenium, tanto que parei n'A rainha no palácio das correntes de ar e não li nenhuma dos volumes seguintes, que me têm dito serem bons. Sim, mas não são dele. Depois li Nesbo. Ó meus amores, fiquei a odiar este autor! Ou tive muito azar com O morcego, ou não sei... como a vida é muito curta para insistir em ler o que me cai mal, li meia dúzia de capitulos e pus de lado. O Victor lá leu, mas confirmou (...)
Ah, semana em GRANDE!!!    (em homenagem à estreia de quinta, hoje a imagem é especial...)   Comecemos pelo começo...   (segunda-feira) O Tomás fez anos, e fomos almoçar (lindamente, de resto) ao Sushicome de Almada - e acho que ingeri calorias para dois dias...   (terça-feira) O pikeno recém entrado nos 22 foi ao EDP Cool Jazz, e deixou-me o pc ligado à TV para que jogasse Crash Bandicoot...oh happy day que passei agarrada ao comando!   (quarta-feira) Já tinha lido O (...)
E ontem quando me deitei, equilibrei os óculos na cana do nariz, peguei no livro, li três frases, fechei-o e disse hoje não, a ver se o sono me faz o favor de aparecer mais cedo. O marido, que anda a ler o último do Robert Galbraith, aka, JKRowling, ainda perseverou mais um nadinha. Sou sincera: não estivesse eu a ler o livro que estou, que é de quem é, e largava.   Só que eu sei o quanto achei aborrecida a primeira parte do seu primeiro livro, e de repente dá-se um imenso fogo (...)
  Numa altura em que haverá muita gente que já vai no segundo ou terceiro, acabei ontem o primeiro livro do ano, El extraño verano de Tom Harvey de Mikel Santiago (A última noite em Tremore Beach, El Mal Camino) . Gosto mais de avaliar o autor de que os livros, e se Mikel me arrebatou no primeiro, voltou a fazê-lo no terceiro - e continua a ser-me difícil avaliar o segundo titulo. Li A Ultima Noite...  em português, e os seguintes em castelhano. Foi-me difícil adaptar à (...)
3 de Maio- Bistritz - Parti de Munique às 8.35 da noite no dia 1 de Maio tendo chegado a Viena ao amanhecer do dia seguinte; devia ter chegado às 6.46 mas o comboio estava atrasado uma hora. Budapeste parece ser um lugar maravilhoso, pelo menos do pouco que consegui ver do comboio e do pequeno passeio pelas ruas.   Estas são as primeiras frases que li mal o livro me chegou às mãos. Cheínha de vontade de o ler, já que tinha um historial na matéria - era pequena e estava toda a (...)