Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

... e 'mái nada!

... e 'mái nada!

De subir, literalmente, paredes...

Como tinha dito aqui, ontem tinha uma consulta marcada, de Clínica Geral, as que estava mesmo, mesmo a precisar, não só por causa da história da medicação, minha e do pikeno, como de um ror de exames que preciso fazer e de que necessito dos 'papelinhos com a designação e respectiva vinheta', ou lá o que é (exames que já vão bem atrasados...), como porque precisava da consulta-mesmo-consulta, que há uma serie de coisas que me andam  a atazanar e preciso de ajuda para a resolução das mesmas.

Meto-me no carro, chego, subo as escadas, abro a porta, e diz-me a enfermeira: olha hoje o dr não consegue dar consultas por causa do portal da Finanças estar fechado. Eu liguei-te (pois, quando eu vinha a conduzir. EU NÃO ATENDO QUANDO CONDUZO, faz-me uma confusão dos diabos, não o faria mesmo que deixassem, e não deixam, DÁ DIREITO A MULTA...)

 - foi MESMO preciso esperar até às 17:10h para me ligar a dizer que não havia consulta às 17:30???

Desnorteei-me. Desnorteei-me de tal maneira que nem reclamei, nem consegui ver a hora da chamada, nem sequer se a tinha recebido, só disse (alto) tenho de ir  para o 'Hospor' (Hospital de Santiago) e saí desabrida. No carro, só me ocorreu encostar a cabeça ao volante e deixar as lágrimas que afloravam correr.

IR A SETÚBAL FAZER O QUÊ?

  • O tipo de medicação que preciso é tão específica que não me passariam numa consulta de urgências;
  • Obviamente que não me passariam a do meu filho (cuja última toma tinha sido na véspera);
  • Exames, claro que não são passados em consultas de urgência, duh;
  • E quanto à ajuda que  eu precisava, seria inevitavelmente encaminhada para uma consulta de especialidade - e já lá tenho uma marcada, para 4 DE JULHO.

Ou seja, nada a fazer, poupa a viagem.

Morre p'raí mas poupa a viagem.

Será que àqueles energumenos do portal das Finanças ocorreu sequer que iam prejudicar todas as pessoas que tinham consultas marcadas em particulares com acordo com a ADSE em clínicas pequenas? E que isso, muito provavelmente, iria provocar algum caos nos hospitais e demais serviços de saúde?

Ou que poderiam provocar problemas graves?

IRS? Mas a fatura da sorte, ah, isso não foi afetado... isso e o raio que os parta.

Cada vez estou mais farta deste país de merda...

 

Moral da história? Hoje vou à capital - e com toda a sorte do mundo, porque houve uma desistência! - vou pagar €65 mais transportes (a coisa vai rondar os €75) e não vou trazer os papelinhos para os exames. Não, para isso tenho de marcar uma consulta de gastroentrologia para pedir a colonoscopia, outra de ginecologia, para pedir a mamografia e a eco mamária, e outra de endocrinologia para a eco tiróideia. E depois, uma segunda ronda para mostrar aos senhores doutores os resultados (com a segunda ronda já contava, com a primeira é que não...)

Imaginem as viagens Seixal-Setúbal que vou fazer, multipliquem pelo combustível que vou gastar, e pelo tempo que vou perder... e somem o que vou gastar hoje.

O RAP é que tem razão:

MAIS VALE (MESMO) FALECER DUMA VEZ!

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Fátima Bento

    30.04.14

    A consulta é feita num consultório com várias especialidades, sendo que este médico é o único com acordo com a ADSE.
    Então é assim:
    O médico passa uma receita, e/ou várias e/ou pedido(s) de exame(s) - tem de estar ligado ao Ministério da Saúde para o fazer. A prova de que aquela prescrição teve lugar de forma idónea e legal é através do recibo, que é passado obrigatóriamente pelo médico, em duplicado, o paciente assina uma e leva a outra. Para fazer esta emissão (da fatura) tem de estar ligado ao Portal das Finanças, senão, NO CAN DO. Todos os anos isto acontece. São semanas em que ele tem de cancelar as consultas e enviar os doentes para casa. Já chegámos a brincar sobre o assunto, nomeadamente quando a coisa pendura e uma consulta de dez minutos chega aos quarenta, só para aligeirar a coisa.
    Mas imagina um desespero.
    Melhor, imagina O DESESPERO -com 1,68m, setenta e alguns quilos, um número impressionante de madeixas loiras, de calças de ganga cinzentas e uma camisa de ganga azul e uns loafers leopardo. Um olhar entre o desesperado e o... desesperado.
    Se me tivessem esbofeteado a minha reação não tinha sido diferente.
    Desespero.
    Já se resolveu mas irra! Podia ter ali caído durinha....
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.