Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

... e 'mái nada!

... e 'mái nada!

É que ela (eu) é uma gaja muit'a esperta! Ó se é!

E morrreu o Bill Paxton, na mesa de operações. O meu interlocutor completa foi, insuficiência cardíaca.

E eu, exato, o coração parou de bater.

(isto com a expressão mais calma do mundo, mas com um 'duh!' a brilhar no cantinho do olho)

 

Ai queres fazer piada? Então toma!

 

Fiquei a saber passo a passo como é que se faz uma cirurgia quando se sofre de insuficiência cardíaca (sim, também se morre de insuficiência cardíaca, o músculo cansa-se e manda o dono dar banho ao cão, o qual se vê impossibilitado de cumprir a ordem...), já que a mesma é também uma doença. É a chamada 'operação de coração aberto' pelos amigos.

 

Primeiro, arrefece-se o mesmo a ponto de provocar uma paragem cardíaca controlada. Para o efeito é usado soro fisiológico gelado. Quando o coração para, trabalha-se, com os minutos contados. Feita a intervenção, suturada a artéria, e tudo, e tudo, começa a deitar-se soro fisiológico sobre o coração numa temperatura cada vez mais elevada até atingir a correta. E aí são introduzidas as pás desfibrilhadoras (pequeninas, que aqui a espertalhona já viu na televisão), e o coração recomeça a bater.

Mas às vezes... não reage.

E terá sido o que aconteceu na cirurgia a Bill Paxton. Podem ter havido complicações que tenham alongado o processo e/ou pode ser corrido tudo lindamente e o coração ter mandado o desfibrilhador pentear macacos.

Fiquei informadíssima. 

E como o meu motto é não há informação excessiva nem desnecessária, satisfeita.

 

De bónus, fiquei a saber que existem médicos - atenção que não são todos - com quem não vale a pena armar em engraçadinha.

 

 

É que te arrumam em dois segundos!

blogger-image-1013227358.jpg

 

9 comentários

Comentar post