Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

22
Mai16

É que não me faltava mais nada! MAIS NADINHA!!!!!!

Fátima Bento

Estava eu doente, porque o tempo andava parvo - como anda agora, de resto - e mesmo, mas mesmo a precisar de cama. E então, porque nada pode ser simples, senão a vida não tinha piadinha nenhuma, aconteceu o que contei em 2011 e volto a contar hoje... 

 

"[Dado estar a necessitar de me ir enroscar debaixo do edredão], ontem à noite, a caminho da caminha entro no quarto e oiço o alarme-piccolina a plenos pulmões - a bicha nem dá um minhau, só pia como os pássaros, mas quando baixa o alarme, até os vidros abanam. Vejo a buzina a olhar para cima e sigo a direção dos MIAU's em dolby sorrund, e ei-la: imperturbável, do alto da parede, um baratão de 6 cm (não estou mesmo  a exagerar), junto à sanca do teto. A Piccolina não se calava, e  tentava subir paredes, olhando para mim a intervalos regulares a inquirir-se porque cargas d'água eu não lhe dava uma mãozinha para chegar lá acima.

 

 

E eu, a fazer-me relaxada, abanco no meio da cama, pernas recolhidas, à espera que a aventesma ruiva continue o circuito e faça o favor de se posicionar sobre a porta do quarto, único lugar onde o meu campo de visão abarca o espaço suficiente para eu lhe dar uma valente sapatada com o chinelo e ver onde ela cai.

{E eu a fazer o filme todo, e a ver-me a gritar mata-mata-mata,

e a saltar-lhe em cima até só haver aquela coisa branca num raio de 50 metros,

e a gata não saber o que fiz ao inseto...}

Ora estou eu nestes devaneios, sem mover os olhos da bisarma, e eis senão quando sua excelência pára, hesita, e resolve inverter o sentido de marcha. Ainda estende as patas da frente para o 'rodapé' (acho que é mais rodateto) de gesso, ou estuque, ou lá do que aquilo é feito, mas sente que a textura é demasiado lisa, e volta a meter as mãos (blerghhh, mãos...) na parede. Mas completa os 180º, e eu vomito um 'pronto, Piccolina vai ter mesmo de ser assim e agora, senão hoje não durmo...' subo para cima de um banco, e é nesse momento que cruzamos o olhar.

Digo-vos, meus senhores, que 6 cm de barata assim de perto deixa o mais corajoso sem pinga de sangue... e a mecinha nojenta começa a abrir a asa... AAARGHH!!, não vou de modos: levanto o chinelo, a Piccolina incita-me com MINHAUUUUUSSSSS em êxtase, faço pontaria e... acerto-lhe de raspão e a p*t@ da barata cai-me para trás do armário.

 

 AIVÁLHAMOOSANTO!!!!!!

 

Escusado será dizer, para encurtar a estória, que adormeci às 4:00h, e posso dizer que dormi de olhos abertos, com o alarme presente e sem dar um pio, mas aquela coisa em zoom não me saía - nem sai! - da cabeça...

Agora alguém me explica de onde aquela porr@ saíu? Eu passo o verão com a janela aberta, sim, MAS com estores bem encostados em baixo, e aquele rinoceronte não cabia nas frestas. Será que existe algum espaço vazio na caixa do mesmo por onde aquele elefante se tenha esgueirado? Garanto que não vou verificar, não vá me cair alguma em cima. Pelo sim pelo não vou agarrar na porcaria (é mesmo porcaria) do veneno em gel, e espalhar pelos cantos recônditos do quarto - onde nem o alarme nem a sua tia cheguem - a ver se o T-Rex é atraído pelo 'doce' da coisa, se empantrurra e morre bem morridinha, qu'eu não gosto cá destas brincadeiras.

 

É que não me faltava mais nada! Dividir o meu quarto com um baratão! Escusado será dizer que não sei muito bem como é que vou conseguir adormecer hoje... chamem-me maricas, força! Eu queria ver-vos a olhar uma besta daquela olhos nos olhos...

Argggghhhhhh!!!!!

(e com isto tudo, aquela estória do "ben-u-ron e cama" 'tá-se mesmo a ver, não tá? Hoje andei a paracetamol, mas mal parei em casa, e quando cá estava, era sentadinha no sofá da sala, com as mialgias do meu corpinho a berrarem: Cama! Cama! Cama! e eu a fingir que não ouvia. Acho que vou ter de ingerir um valente suporífero, senão é mais uma noite p'ó bochecho, e se não descanso, amanhã ainda acordo a sentir-me mais dó-dói...)"

 (repost)

CONCLUSÃO:

Seis meses depois, ao mover os móveis encontrei-a, já mirradita das carochas, atrás da sapateira (do outro lado do quarto), morridinha da silva. AQUILO terá morrido de morte natural, dado que eu não espalhei veneno por lugar nenhum... ainda coloquei duas armadilhas (ridiculas, A COISA era demasiado grande para a apanhar, mas foi mais pelo efeito psicológico). E descobri que a gaja entrou mesmo pela caixa do estore. Como no Verão a janela está sempre aberta, olhem, tento não pensar muito no assunto...

3 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

...porque outubro é quando quisermos...

mini.JPG

 

Pesquisar

A ler agora

deveraux.png

 

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sigam-me aqui:

Bloglovin.JPG

 

Instagramem-me:

Aqui e agora