Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

13
Mai14

Nos últimos tempos? Leio!

Aqui pelas minhas bandas, lê-se. Lê-se muito, de capa a capa, estado a contra-capa já colada à capa seguinte.

- deu-lhe a louca!

Deu.

Aqui eu tinha explicado que não li durante uns meses e uma possível razão, aliás a única.

E depois quebrei o jejum, e olhem foi como uma pessoa que passa muito tempo sem comer e dá de caras com um banquete!

Então, a ver se não me esqueço de nenhum...

Comecei pelo 'Não te distraias da vida', do Manuel Forjaz. Gostei, embora não vá tecer mais comentários em volta do livro. Gostei, o Manel ainda estava vivo quando o li, fiquei com a ideia de o 'conhecer' um bocadinho melhor.

E depois, às compras, apaixonei-me por um livro de que nunca tinha ouvido falar. A coisa mais bonita que vi até agora em livro - ganha às capas dos diários da MRP, o que é difícil - o autor era francês e o livro foi fazer companhia aos bróculos e aos pacotes de açucar. Foi o seguinte a ser lido e chama-se 'A lista dos meus desejos' de Grégoire Delacourt. É um livro doce, despretensioso, e que nos deixa um nadinha tristes. O dinheiro muda as pessoas - todas, é a mensagem.

Entretanto entra o reader na história. Comprei mais um do 'meu' autor de thrillers favorito, John Katzenbach, 'Red 1-2-3'. E neste ínterim estreia a serie 'Resurrection' e vou em busca do livro que dá origem à serie: 'The Returned', de Jason Mott;

e lá ficou o 'Red 1- 2-3' à espera enquanto li o de Mott. Gostei muito. Quem for ler à espera de descobrir mais qualquer coisa sobre a série, desengane-se: ele até é capaz de estar lá tudo (não dá para saber ainda)mas com tanto enviesamento e adição de pormenores extra, que não 'spoila' nada...

E de seguida então foi a vez do adiado

que valeu a espera. Não vou tecer grandes elogios ao livro, acho que toda a gente já sabe que tenho admiração pelo autor e que dele, 'papo tudo' em qualquer das línguas que conheço.

A este seguiu-se um livro que nunca pensei ler, porque não gosto do autor. Mas a verdade é que li. E continuo a não gostar do autor - ainda mais não fosse porque não é ele que escreve os romances que assina - mas também porque embirro com o senhor. Com 'a casta' que o senhor representa. Li

Que não me fez mudar de ideias e pede um post só para si, de língua afiada.
Fechei a capa desse, e vim à sala buscar 'A culpa não é sempre da mãe' da Sónia Morais Santos
Quem conhece o blogue da Sónia, 'coco na fralda', conhece o estilo de escrita dela e sabe que ela é jornalista. Aqui combina as duas vertentes e o resultado final é um livro sobre a culpa. Das mães. Acabei-o ontem à noite, e confesso que ainda estou a digerir o último capítulo sobre a adolescência, dado que tenho um molho de brócolos ali dentro, que é a segunda adolescência que acompanho, e que às vezes me deixa a pensar que vou mesmo ensandecer. Mas pronto.
Na lista para 'já-a-seguir': acabar o 'As mulheres casadas não falam de amor' de Melanie Gideon, e em seguida ler 'Secret' de L. Marie Adeline, erótico, emprestado por uma amiga há imenso tempo (no mínimo pensa que já lhe perdi o livro... não).
E de livros, neste momente este é o panorama. Não tenciono ler ALA, Saramago, GGMarquez, Vargas Llosa, Murakami...nos próximos tempos vou andar a ler esferovite. Quero coisas leves, que preferencialmente me prendam, e que me deixem à vontade para dar algum descanso às células cinzentas.
Depois outro galo cantará.
A seu tempo.

2 comentários

Comentar post