Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

29
Dez17

O melhor que li em 2017

Fátima Bento

Não li tanto quanto poderia, mas este ano foi uma sucessão de altos e baixos, loopings e screwdrivers, pelo que a disposição emocional para tal passou-me muitas rasteiras... ainda assim li um punhado de excelentes livros.

 

Já aqui falei da saga Melrose, do St Aubyn, pelo que nem vou voltar a tocar no assunto. Juro.

Adiante pois, saltando já sem mais delongas, para o MEU livro do ano.

 

CAPA_Miniaturista.jpg

 

Vá, admitam que vos salta à vista O livro do ano de 2014 segundo a Waterstones. Pois que só o li este ano depois de duas tentativas falhadas.

E porquê, perguntais vós? A resposta requer  uma explicação acurada... 

 

Tenho memória fotográfica*

 

(nesta altura já é mais fotográfica que memória, mas isso são detalhes...)

 

 

Ora a ler um livro, tenho de enquadrar a parte cénica. Se não vejo, ando à procura, e a história passa-me ao lado...e foi isso que se passou com o livro em questão nas primeiras vezes que o tentei ler. 

Mas desta vez resolvi avançar. O livro passa-se na Holanda, em 1686, e eu juro que comecei uma e outra vez e não conseguia ver os personagens, a forma como era descrita a forma como se vestiam e o seu viver espartano não encontravam paralelo na minha memória. E depois, fez-se luz. 

Os Amish são de origem Holandesa (ainda hoje falam holandês entre si) e comecei a antever as descrições das vestimentas similaridades com as que usam nos nossos dias... e na dobra da capa pode ler-se 

 

Um romance de estreia magnífico, sobre amor e traição, que evoca com grande sensualidade a atmosfera de Amesterdão de Sec XVII, erigida sobre a riqueza da Companhia Holandesa das Índias Orientais, mas espartilhada pela mentalidade puritana da sociedade de então.

 

 

Pronto, entrei no livro!!!! E SE valeu a pena! 

 

Jessie Burton é imprevisível de inicio ao fim, a obra tem uma atmosfera pejada de pontos de interrogação, que nos prendem ao desenrolar da história.

 

O livro, para dizer o mínimo, usa a nossa curiosidade à exaustão - e o resultado é magnifico! 

 

(e para minha desgraça, acabei de descobrir que ela tem um livro novo! Ainda só no original, e a tradução d'O Miniaturista é fantástica! Mas lá vai mais um para o kobo - em papel comprarei em português)

 

Recomendo vivamente. Dos poucos que li (foram uns dezassete durante todo o ano) este foi o que me surpreendeu e agarrou mais, nitidamente pela positiva.

 

Recomendo vivamente ,a quem  ainda não leu. E a quem leu, é de repetir!

 

 

*coisa que sempre me deu muito jeito nos testes... quando não me lembrava da resposta, fechava os olhos, e "via" a pagina do livro, pelo que era só ler o que lá estava; só tinha de arranjar pontos de referência/jogos mnemónicos para me lembrar de QUAL pagina...

 

4 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Leituras do momento

1507-1 (1).jpg

 

A-Elizabeth-Desapareceu.jpg

 

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sigam-me aqui:

bloglovin1.jpg

 

Instagramem-me:

Aqui e agora