Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

07
Mar14

Por isso é que cada um de nós tem uma sobre os ombros...

Seja devido à crise, seja um fenómeno cíclico, como poderão garantir alguns sociólogos que se debrucem sobre o assunto, a verdade é que entraram na moda uma serie de coisas que parecem novidade, mas na verdade não o são.

O minimalismo, a frugalidade, o retorno ao natural e biológico, o elogio do olhar para dentro e à volta, devagar, apreciando cada pequena coisa que nos vai enriquecer o dia... lamento, mas até aqui, nada de novo.

Estamos todos e todas muito IN, a invadir os nossos murais em tudo quanto é rede social com imagens, comentários e conselhos, lemos avidamente livros de gurus que fazem o elogio do reencontro destes valores, em louvor do  física e psiquicamente saudável.

Particularmente, nestas situações, quando a onda que se forma começa a ficar desmesuradamente grande, começo a recuar em direção à areia, deixo-a rebentar e espero até a espuma me refrescar os pés. Nessa altura reparo no que ficou, e é então que penso, decido, formo opinião.

Vão-me dizer que tem a ver com ter vivido muito (uma forma simpática de dizer que sou mais velha de que vocês), e isso me ter feito 'prevenida'. Se calhar. Tudo o que é embandeirar em arco, e passível de algum tipo de fundamentalismo, ainda que moderado, me sidera

- é que fundamentalismo, nem de esferovite...

Por isso a ideia do veganismo me atrofia, mais a macrobiótica, o crudivorismo... não me venham vender um assim é que é: não existe um assim é que é.

Não existem verdades absolutas

- e essa é a única verdade absoluta que acedo aceitar.

Mas gosto. Gosto de aprender sobre vegetarianismo, cozinha macrobiótica, e faço a minha perninha no crudivorismo quando ingiro saladas e frutos.

Depois de aprender, tiro um bocadinho daqui, outro dali, e construo a minha parede, que é assim uma coisa em constante mutação.

Agora,

não me venham vender fórmulas.

Porque eu nem sequer aceito que existam 'respostas certas', quanto mais que me venham responder a perguntas que nem me passou pela cabeça fazer...

6 comentários

Comentar post