Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

23
Mar21

Porque eu Posso #14 -Texto da Charneca em Flor

7 anos de porque eu posso

DSC01277.JPG

(foto by  Charneca em Flor)

"No Verão de 2006 fiz algo pela primeira vez e, pensando bem, foi a única vez que realizei tal feito. O mês de Julho chegou trazendo o meu aniversário e as minhas férias de Verão. Lembro-me que decorria o Campeonato Mundial de Futebol na Alemanha. Naquela altura estava, mais uma vez, separada daquele que, no ano seguinte, se tornaria no meu ex-marido. A minha mãe não podia tirar férias e não havia nenhuma amiga disponível para ir de férias comigo. Não me apetecia, de todo, ficar 15 dias sozinha em casa, a alimentar a mágoa de um casamento falhado.


Se bem me recordo, a ideia surgira algumas semanas antes de as férias se iniciarem. Num domingo, bem cedo, fui dar um longo passeio com a minha mãe até uma pitoresca aldeia da Costa Vicentina. Não sei se chegámos a ir à praia mas lembro-me de termos almoçado num dos melhores restaurantes da zona. Eu conhecia bem o local e o mês de Julho ainda era relativamente pacato em termos de ocupação turística. Foi nesse dia que resolvi que voltaria lá para passar uma semana de férias, sozinha. Se calhar, tinha a esperança de encontrar um amor de Verão que me fizesse esquecer o meu desgosto amoroso. Antes desse domingo acabar, reservei um bungalow num parque de campismo e comecei a contar os dias até ao início das férias.


No dia 1 de Julho, fiz as malas, enchi o porta-bagagens com tudo o que me podia fazer falta, incluindo um televisor, e fiz-me à estrada. Ia decidida a passar uma excelente semana de férias. No dia 5 de Julho eu celebraria o meu 32° aniversário e não me incomodava nada passá-lo de maneira bem diferente, completamente sozinha.


E porque é que eu fiz isto? Porque podia, porque não devia satisfações a ninguém e porque era independente*. Nada me impedia de pegar no carro e ir até onde me apetecesse.

 

*Infelizmente, ainda estava muito dependente emocionalmente do meu ex-marido. Não sei o que me levou a contar-lhe onde ia, na véspera de partir. Ele surpreendeu-me, aparecendo por lá no dia do meu aniversário e fizemos as pazes. Mas isso… é outra história".

 

Grata, Charneca em Flor, por teres partilhado connosco um pedaço da tua vivencia, em que transparece a força que, de certeza, te terá ajudado a atravessar a tempestade que um divórcio pode ser. Somos sempre tão mais de que aquilo que pensamos ser...

 

Estamos na reta final da publicação de textos do desafio dos sete anos do blogue. Amanhã é dia da publicação de textos pelo #GrupoDosLápisDeCor, (esta semana a cor é o verde claro) pelo que quinta feira continuaremos a divulgação dos textos subordinados ao tema porque eu posso. Posso adiantar que faltam dois textos de duas autoras... passem por cá para os ler!

 

Ana De Deus a Bii Yue, a Célia, a Charneca Em Flor, a Cristina Aveiro, a Isabel,  o João-Afonso Machado, o José da Xã, a Maria Araújo, a Marta, a MissLollipop a Rute, o Último, e a Rita Pinto, mais a Inês (FB) e a Helena (FB) , aceitaram este desafio. Acompanhe a publicação dos textos dos participantes aqui e no blogue do autor do texto, às segundas, terças, quintas e sextas de manhã.

 

22 comentários

Comentar post