Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

22
Mar18

Purga

Fátima Bento

sadness.jpg

(via

 

Como sabem não tenho escrito. Nem é à falta de assunto... fico a olhar para o cursor e acabo por fechar a pagina. E esta é a metáfora perfeita do que têm sido os meus últimos dias. 

 

Olho e fecho. Dou meia volta, e só não mudo de ares (por algum tempo) porque não só não dá jeito como não seria justo. Mas juro que a cabeça às vezes fica tão cheia que me apetece abri-la e lavar todas as pecinhas com lixivia. 

 

Não estou a falar de problemas inventados, estou a falar de factos que nos moem por dentro, e não têm fim a vista.

 

A vida é uma coisa complicada.

(e isto é um eufemismo, e não se aplica só à minha)

 

Um dia talvez fale disso, hesito porque envolve mais gente e eu e acho que não devo; mesmo a rebentar, a querer mandar tudo para o ca%&lho e bater com a porta com a delicadeza de fazer as dobradiças saltarem, acho que a privacidade dos meus filhos tem de ser respeitada. Com maior ou menor mérito da parte deles, mas com o mais possível da minha parte.

 

Vocês desculpem, estes posts mimimi são uma merda... mas a única forma que tenho de amanhã me sentar em frente ao Teclinhas e escrever alguma coisa (gente, eu ando a estudar um tema para abordar, pamordasanta!), passa por despejar a alma hoje, na medida do possível.

Não posso, não consigo fingir que fiz uma pausa porque fui a banhos para as termas, ou quejandos.

 

Não, eu fiz uma pausa porque a montanha de porcarias aumentou de tamanho e a minha força foi-se com os porcos. E eu sentava-me aqui, abria o dashboard e só pensava em tudo o que não podia escrever.

 

Fotografei, passei para o pc fotos para posts, mas não foi possível escrever. Senti como que me mentia. Porque não estava tudo bem. Não estava NADA bem.

 

E nem é varrer para baixo do tapete: é olhar os problemas nos olhos, falar sobre eles em terapia, mas como disse hoje, estar farta de me ouvir falar sempre do mesmo. Porque não tem fim. Porque, porque, porque.

 

Mesmo que não tenham entendido nada, ou tenham entendido pouco, obrigado por estarem aí e lerem esta forma de regurgitação, por forma a amanhã tentar fazer aqui a chafarica voltar ao normal.

 

Um beijo para tod@s!

 

17 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

A ler agora

heartf.JPG

 

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sigam-me aqui:

Bloglovin.JPG

 

Instagramem-me:

Aqui e agora