Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

... e 'mái nada!

... e 'mái nada!

Dia de ir ao cinema sozinha (háquanos!!!)

  Há que tempos que não ia ao cinema sozinha! Podia ter escolhido melhor? Podia. O último que vi foi o FANTABULÁSTICO JOKER, com o marido, e desta vez quis ir satisfazer uma curiosidade, embora tivesse, decerto, feito melhor se tivera ido ver o último do Woody Allen, por exemplo, mas prontx.   Quis ir ver um filme de uma cineasta nova, Alice Waddington, que me tinha levantado uma desconfiança das (...)

Mais uma volta, mais uma corrida!

  Se bem se lembram, dia três era o dia da consulta de endocrinologia no HGO. Era. Teria sido. Não foi - os senhores doutores estavam de greve, Agora é esperar que me enviem uma nova carta com a data da próxima consulta... assim lá mais para o fim do ano, pode ser que já tenha o resultado de uma nova biopsia...   Entretanto tenho o resultado do TAC à coluna para levantar, que vou mostrar a outro senhor doutor dia 12. Malta, esta é a coisa que me está a causar mais (...)

Cinema: o que vi em 2018

Fui ao cinema muitas vezes. Amei cada uma, umas com mais, outras com menos qualidade e duas agraciadas com a frase "o que é que estou a fazer aqui?????"   E foram os seguintes, os filmes que vi, no cinema, em 2018:   O Grande Showman - vi duas vezes; (9/10)Suburbicon; (6/10)Jogo de Alta Roda; (5/10)Lady Bird; (3/10)Três cartazes à beira da estrada; (8/10)A hora mais negra; (7/10)A linha fantasma; (8/10)Chama-me pelo teu nome; (8.5/10)Dunkirk; (6/10)Foge; (7/10)Coco; (8.5/10)Tonya; (6.5/10)Mud (...)

Eu sei, ando fugida...

E acho que vos devo pôr a par das últimas.   Cinema   No domingo fui ao cinema, ver Monstros Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald. Não vou dizer que mais valia ter ficado em casa, porque tinha de ver. E sei que também irei ver o próximo.  No entanto, não gostei muito deste. A história é muito fraquinha, há tantos! efeitos especiais, computador, e chromakey (ok, este último é indispensável, (...)

Pedro e Inês - a maior história de amor

  Ontem dei comigo numa sala de cinema meia (o que é fantástico, às 12:35h). Meia e descontraída, em que as pessoas começavam por procurar o lugar e eram aconselhadas pelos que já lá estavam, sente-se onde quiser!. É uma lufada de ar fresco - se há coisa quem me atrofia é uma sala de cem lugares com duas cadeiras ocupadas, e um marmanjo (ou marmanja) ligar a lanterna do telemóvel e procurar (...)

Sobre coisa nenhuma, ou quase

  Hoje acordei meio entupida e toda moída.  Chegou mesmo o Outono, e estas temperaturas de 26º já estão a fazer as alergias puxar febres baixas, que é do piorio. Chatice. Vai começar o braço de ferro - eu a sentir o corpo a pedir pára!, a e a insistir e a não parar. E o mau estar generalizado, assim tipo moínha, é uma gaita, não f***  nem sai de cima. Bah. Tenho de ver se descubro um anti histamínico que ajude... a ver se passo no celeiro, propólis ajuda. Bom o meu (...)

O primeiro homem na lua - Bom com maiúscula

  [Há uns anos atrás, quando tinha de fazer algo como falar em publico, eu não vacilava: avançava e fazia-o. Quem me visse veria alguém seguro, penso.  O que não sabiam era o que se passava cá dentro... eu empurrava-me para a ribalta e ficava a observar-me de um espaço seguro, até que me fundia comigo, e fazia coro com o que defendia ou apresentava.  Não será muito fácil entender isto, e mesmo que tente não consigo explicar melhor; é um mecanismo de defesa automatizado, (...)