Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

... e 'mái nada!

... e 'mái nada!

Morte

  Caminhava altiva, o olhar fixo num ponto imaginário em frente, pescoço direito, queixo levemente erguido.   Quando a via passar na rua, todos os dias a caminho do Instituto, imaginava como seria bom estar dentro dos seus sapatos, caminhar os seus passos, sentar-se à sua mesa com os seus pais, comer os mesmos pratos, ter os mesmos amigos. Imaginava-a numa vida tão perfeita e cor de rosa como nos filmes que devorava, em que o final era sempre feliz e às vezes lhe faziam escorrer (...)

Recuse-se

  Todos nós fazemos pequenas ou grandes coisas que nos incomodam, que não queremos fazer, às quais por razões familiares, privadas ou laborais, acabamos por ceder, contra-vontade.   Com o tempo esses pequenos nadas vão-se amontoando e o pouco transforma-se numa imensidão que nos vai envenenando.   Por isso, hoje não faça.   Recuse, proteja-se, delegue, passe ao um colega, fique a dever um favor, o que for preciso.   Mas hoje não.   Dia #01 As suas regras (...)