Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Desafio dos pássaros tema #2 - nada

27.09.19 | Fátima Bento | ver comentários (2)
  Um tema como o desta semana empurra-nos para a violência domestica.   Amor e um estalo.   E então algumas cabeças mais ou menos pensadoras resolvem começar a tentar dar a volta ao titulo, e falar de uma coisa completamente diferente. Podia falar do amor com que o (...)

Desafio dos pássaros tema #1- Debaixo da pele

17.09.19 | Fátima Bento | ver comentários (13)
  Tenho um problema.   Tenho um problema debaixo da pele, daqueles que crescem connosco, engordam e emagrecem quando isso nos acontece.   Tenho um problema debaixo da pele que às vezes se ramifica, se multiplica, se expande e há pouco que fazer senão esperar que se (...)

Morte

10.10.18 | Fátima Bento | ver comentários (6)
  Caminhava altiva, o olhar fixo num ponto imaginário em frente, pescoço direito, queixo levemente erguido.   Quando a via passar na rua, todos os dias a caminho do Instituto, imaginava como seria bom estar dentro dos seus sapatos, caminhar os seus passos, sentar-se (...)

Carta fechada

10.10.18 | Fátima Bento | ver comentários (15)
  Casara de branco com toda a simbologia inerente. Eram brancos os lençóis de algodão, cabeção e fronhas bordadas com o seu novo monograma, agulha empunhada com esmero, para que o homem que a tinha escolhido e fora falar com o seu pai das suas boas intenções, (...)

Fruto da terra

09.10.18 | Fátima Bento | ver comentários (6)
  Beatriz era uma rapariga quase perfeita. E se digo quase, digo-o na certeza de que a perfeição não só não existe, como é sobre valorizada, remetendo ao anonimato tanta beleza digna de admiração.   Mas não havia vivalma que não virasse o pescoço quando (...)

O gato

07.10.18 | Fátima Bento | ver comentários (10)
  Ninguém sabia o que a pequena caixa tinha dentro. Sabiam que tinha uma fechadura, mas nunca ninguém lhe tinha visto a chave. Nem sabiam sequer o material de que era feita, apenas que não se partia quando caía ao chão - coisa que raramente acontecera, já que a (...)

Fim

03.10.18 | Fátima Bento | ver comentários (8)
  O dia que escolhi para morrer amanheceu com um sol tímido a espreitar por entre as nuvens. Saltei da cama, fui diretamente para a casa de banho e enfiei-me debaixo do duche morno. Enrolei a toalha felpuda à volta do meu corpo, e olhei-me no espelho, o cabelo a (...)

Simplicidade

02.10.18 | Fátima Bento | ver comentários (4)
  Tinha os dedos enfarruscados da tenaz com que empilhava as brasas no borralho da cozinha. Limpou as mãos ao avental, endireitou as costas, mão apoiada na lombar, ai os meus rins, e dirigiu-se ao cântaro. Encheu o púcaro de água, deitou-lhe umas ervas secas, e (...)

A Pegada

01.10.18 | Fátima Bento | ver comentários (2)
Abro a porta e responde-me o silêncio que reverbera nas paredes. Vazia. Uma casa vazia de ti, vazia de nós. Sem estarmos juntos, posso ser eu, mas nunca nós. E poderei, mesmo, ser eu?   Quem sou eu sem ti?   De quem é o reflexo no espelho quando o olho? O que (...)