Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

11
Abr17

É de mim ou não sou só eu?

Fátima Bento

(algo me diz que este titulo é um imenso pontapé na gramática...)

 

Bem, a menos de 6 meses do meu quinquagenário - yup, este ano faço 50 anos e adoro a ideia

 

(ok, se calhar haverá alguma ambivalência na forma entusiástica como encaro este marco, mas deixo isso para as-conversas-a-dois-de-segunda-e-quinta...)

 

- e há uma coisa que me garanto - e a vós também:

 

eu não vou passar esta barreira com o número que consta na etiqueta da roupa que visto neste momento.

É pá, não vou. Inclusive quero fazer uma sessão de fotos para marcar a data/efeméride, e tudo a que tenho direito, e não a vou fazer "assim". Assim mega-lontra, estais a ver?

 

Agora voltando ao título: sou só eu que quando me proponho a fazer um regime de perda de peso fico com todas as certezas do mundo de que não vou emagrecer? De que vou irritar-me, dizer que não enquanto a minha cabeça berra que sim, e quando avanço, fica lá atrás agarrada à vitrine da

 

          a) gelataria

          b) pastelaria

          c) corredor onde estão os packs de sidra no hipermercado

          d) etc

 

a chorar, a implorar, e finalmente, a fazer uma valente birra digna de qualquer puto mimado de 3, 4 anos ou assim, e que não vai adiantar de nada?

 

56fea128f801ace163591abc593c1a39.jpg

 Já aconteceu antes - de todas as vezes que resolvi perder peso - e depois começo a sentir a roupa mais larga e é a loucura, ninguém me para.

 

Agora acreditar que a roupa me vai ficar mais larga é outra conversa... sou daquelas a quem uma dieta draconiana de uma ou duas semanas (por exemplo, à base de substitutos de refeições) costumava servir de pontapé de saída e depois era seguir o bom senso, que o tenho, e as regras que li e reli ao longo desta vida em revistas e livros sobre o assunto.

 

Mas - e há sempre um mas - neste momento aqui a vossa amiga meteu na caixinha dos pirulitos que como estou naquela fase de quem-está-para-entrar-mas-ainda-não-entrou na temida menopausa, e o raio do corpo já muda

 

(que desagradável! a sério, nada é mais irritante que subir duas copas de soutien assim do nada... isso e ganhar uma bóia de salvação à volta da cintura...)

 

agora é que é: vou fazer sacrifícios e os números da balança vão olhar para mim com cara de paisagem, "não mexe não respira".

 

E isso, meus amores, é aquela razão para não avançar sem medos, e ao invés, ficar armada em ratinho assustado ...e agora e agora??, e não alterar o que devo.

 

Chiça, não é ciência nuclear: é gastar mais de que a energia que entra e (pelo menos) primar pela qualidade do que como... e cortar com gorduras, alimentos processados... e pronto REDUZIR os açucares (ninguém me tira da cabeça que o inimigo nº 1 a que chamam veneno hoje, o vai deixar de ser daqui a um ou dois anos - muda o alvo/moda) mas o açúcar tem de ser uma exceção. Nunca um aditivo a consumir com regularidade. Idem para o sal, que ainda por cima promove a retenção de líquidos...

 

Isso tudo e mexer-me mais um bocadinho - ok, tirem a palavra 'mais' da frase anterior, que a coisa fica mais fiel à verdade...

yoga-metabolism-001.png

 (para ver melhor e entender porque o yoga ajuda MESMO a estimular o metabolismo, vão aqui, onde até a imagem tem a qualidade que lhe falta aqui...)

 

Mas a sério, sou só eu que me convenço destes disparates que em intelectualizando não fazem sentido nenhum, mas que nas minhas entranhas gritam que são mesmo-mesmo-mesmo verdade?

 

Canudo, temos sempre que complicar tudo?

 

21
Out16

I'm alive!!!! (again)

Fátima Bento

Hoje acordei tão bem disposta que nem precisei de café - aldrabona!

Está bem, precisei de café mas acordei bem disposta, pronto!

É que ontem consegui escrever!!!!!!!

Caramba, os dedos já acertam nas teclas, e a dislexia, **puff**, foi-se embora.

Aguardem-me pois.

Obrigado a quem continua desse lado apesar do meu 'ao sabor da corrente' que me vai valendo uns valente pirolitos; eu garanto que continuo aqui este lado, mesmo quando fico a olhar para o cursor a piscar, ou quando escrevo e apago parágrafo atrás de parágrafo, ilegíveis.

E vou continuar!

hoje.jpg

07
Ago16

Os meus hábitos de leitura - o que a Maratona Fusão confirmou

Fátima Bento

Caramba que me conheço bem demais. Sei que não gosto de prazos impostos, não gosto de compromissos... e sou de facto uma slow reader.

Mas às vezes aceito reptos que me façam sair fora da caixa... e estampo-me nas curvas.

fusão  fail.jpg

De cinco (temas) propostos, li dois livros. Razões? Oh pá... estive doente = três dias sem ler. E depois li o Memória de elefante numa velocidade maior de que seria habitual, o que me valeu, no dia seguinte à sua finalização (conseguida tarde e a más horas) uma enxaqueca que não me deixava abrir os olhos (António Lobo Antunes exige-me um nível de entrega que me desgasta um pouco). E depois a aproximação das férias, a mente ocupada com as coisas a fazer (não tenho remédio, sou mesmo stressadinha no que diz respeito a viagens, quer sejam de 200 ou 20.000 quilómetros)... ainda comprei um Mia Couto de contos, já que me andam a recomendar o autor há imenso tempo, para trocar os suecos por ele, e tudo...

Decidi então manter A amiga genial (e que vou ler na semana de 15) mais o Fio de Missangas, que condensava dois dos requisitos, ser recomendado e ser um autor que nunca li - sim, vá, batam-me! - desistindo do Eu sou árvore, que SEI precisar de tempo para ser devidamente saboreado. Mas o Fio de Missangas e A amiga genial olham para mim da mesa de centro, a esconderem as gargalhadas, apontando-me o dedo, não conseguiste.

 

Não me surpreendeu. Tentei mas o resultado (a)final era uma forte possibilidade... 

 

Ler é um prazer demasiado grande para andar a correr atrás de prazos. Não tenho dúvidas de que há muito boa gente que lê um livro por dia com facilidade, mas eu tenho de estar dentro do livro para sentir prazer. E entrar num livro leva tempo, pede-me inversões de sentido de marcha e repetições uma e outra vez, do mesmo capítulo, página, parágrafo até descobrir o ritmo certo... é como escolher a banda sonora de um filme, presumo.

 

Por isso, dou os parabéns a quem conseguiu cortar a meta com as cinco alíneas satisfeitas, e garanto que vou ler todinhos e mais alguns, mas ao meu ritmo, e no meu tempo.

 

Depois conto como foi.

 

Agora vou espreitar as minhas companheiras de estrada...

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

...porque outubro é quando quisermos...

mini.JPG

 

Pesquisar

A ler agora

kinsella.png

 

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sigam-me aqui:

Bloglovin.JPG

 

Instagramem-me:

Aqui e agora