Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

... e 'mái nada!

... e 'mái nada!

Eu tento

... mas não me deixam!

  Estava eu a escrever o texto do desafio - cor desta semana, castanho - no PC e eis que alguém considerou que estavam a roubar a atenção que lhe era devida...   E pronto, mais logo fá-lo-ei.   Espero...    (do telemóvel, sem edição) 

Parafusos soltos #1

- falando de gatos... e com eles.

  Ontem em chamada de vídeo com a filha, que vive do outro lado do Canal da Mancha, começamos a mostrar gatos: os meus e os dela. Entra primeiro o Archie, pretinho como a minha Babette, e depois o Chess. Com um rosto de gato a ocupar todo o écran, só me ocorre dizer:   "Hi Chess, how are you? "   Olá, como estás? COMO ESTÁS???  Aiaiai... só me faltava esperar uma resposta (não, nem tal isso me passou pela cabeça, sosseguem - ainda me resta um bom número de parafusos (...)

A pôr a par #1

Isto para mim é mais gatos...

    Este ano tem sido uma viagem e tanto. Inevitavelmente, a caixinha dos pirolitos não anda que se recomende.  Eu até tenho vindo aqui. Mas a enormidade da pagina em branco com o cursor ali à esquerda a catrapiscar , engole tudo o que tenho para contar. Recuo para a minha bolha e fim.   Hoje decidi não pensar sequer no que escrever. Avancei. E de facto, tenho novidades (pudera, o tempo que passou!). E vou começar pelo fim.   Se se lembram, há pouco mais de um ano perdi a minha Mia (...)

Com o coração fora do peito

    Foi no dia 2 deste mês. Saí de casa para apanhar a primeira sessão de Bohemian Rahpsody, às 12:30h., e limpei a litteira, deixando a rede mosquiteira na janela, que deixei aberta, para arejar a cozinha dos eflúvios gerados por suas excelências. Verifiquei que as molas que prendiam a rede estavam no lugar e fechei metade (ficando, na totalidade, um quarto aberta), porque havia quem se aventurasse a (...)

Ensaios sobre a cegueira

  Isto de ter um gato cego leva a que me façam uma serie de perguntas, que se repetem à exaustão. Mas há algumas que são mesmo para queijinho.   Por exemplo:         - então não podes mudar as coisas de sítio, tem de estar tudo sempre nos mesmos lugares?      - nada a ver, o radar, nos bigodes e não só, funciona lindamente, tal como a audição e em caso de duvida, ele pára e usa as mãozinhas para perceber o que tem à frente. Claro que quando lhe dá a louca e (...)