Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

07
Set18

Vá lá, digam-me que não sou só eu...

Fátima Bento

O local: balneários do ginásio. 

 

Os atores: duas mulheres a tomar duche, em cabines mais ou menos contiguas.

 

A ação:

Uma das duas acaba o duche e vai para a zona dos cacifos acabar de se enxugar, e de secar o cabelo. A outra fica no seu cubículo - provavelmente a pôr a máscara capilar e mais o que for que a faz demorar mais tempo. Fecha-se a agua e ouve-se claramente um 

pum.JPG

(sim, um peido uma libertação sonora de gás proveniente do intestino).

 

A que se encontra junto ao cacifo estaca por um ou dois segundos. Pensa que tem de segurar a gargalhada, e continua a vestir-se, enquanto a água se volta a fazer ouvir. Parcos minutos depois aparece a outra, molhada, com um ar fresco e tranquilo, e começa a arranjar-se.

 

Digam que numa situação similar eu não sou a única pessoa que fica a achar que ouviu mal - quando cla-ra-men-te, não podia de todo ter sido outra coisa!

ops.JPG

09
Abr18

Porquê o masoquismo?

Fátima Bento

momentos-porque-todos-nos-passamos-no-primeiro-dia

 

Fim de treino, no balneário: ah, acabou a tortura! / ah, estava a ver que não, por hoje já está, que alívio / bolas os sacrificios que é preciso fazer!

 

O engraçado é que isto sai da boca de gente que tem de perder três  ou quatro quilos, porque se sente fora da norma, e não tarda está a bater com os costados na praia. Ou seja, que se não se puser a malhar que nem doida (eu não as vejo fazê-lo, mas que entram no balneário todas rotas, ai entram...) não vem daí mal ao mundo!

 

E acreditem não vejo ninguém a treinar a ponto de cair para o lado. Talvez os treinos com PT sejam mais duros (é para isso que são pagos, para apresentarem resultados), e no meu ginásio há vários, sempre, mas ainda assim, atrofia-me. Não premito que me façam não gostar do ginásio.

 

Podem dizer: daqui a um mês ou dois, falamos.

 

É que eu divirto-me muito ali! Parece que reencontrei aquela Fátima que treinava 90 minutos por dia 6 vezes por semana! Ok, com mais umas dezenas de quilos em cima que na altura, mas encontrei. E saio de lá ainda com pedalada (ai se não fora o duche!) e cheia de fome (por isso levo sempre uma banana ou uma barrita "despertar do buda" para o caso de não aguentar até chegar a casa). Mas não faço sacrifícios, não na medida em que oiço aquelas meninas falar.

 

E já agora, uma coisa que me faz espécie: porque é que TANTA gente não toma duche no ginásio? Não fora a água quente nos músculos e, pelo menos, eu sairia menos relaxada. 

 

Para quem quer saber, o meu treino dura entre 60 e 80 minutos - exceto quando, como na última quinta, me apanham "à traição" - estou a brincar, foi uma surpresa gira - para uma aula de abdominais quando já vou a caminho dos alongamentos...  o que fez que se tivesse transformado em 95 minutos...

 

Mais uma semana ou duas e vou experimentar uma aula de pilates. Mas primeiro deixa estar mais uns tempos com estes dois treinos intercalados...

 

28
Mar18

O meu primeiro dia no ginásio

Fátima Bento

Pois que é mesmo verdade meus anjos, hoje fui pela primeira vez ao ginásio - primeira vez na Era Moderna, que na Antiguidade já tinha frequentado o mesmo. Que agora está renovado e melhorado. Querem fotos? Ah, pois, só se o apanha assim vaziozinho, que hoje estava cheiote, e as pessoas podem não gostar de se ver plasmadas aqui na chafarica.

 

A única foto possível que tenho para vos mostrar é a que coloquei no Instagram:

 

insta.JPG

 

Ainda pensei Ah, e tal, vou fotografar o painel da passadeira... mas além das fotos de painéis serem blerghh, a do meu era infeliz: alguém quer saber que fiz 15 minutos a 4km/h e inclinação de 2,5? Não, pois não? É só triste...

E depois fiz 15 minutos de bicicleta a igualmente 4km/h (o que quer dizer que caminho depressa), no nível de dificuldade 3 (acho eu). Quando desci da dita, as pernas pareciam borracha... estava a ver que me estampava no vinil... mas não, tá-se...

 

Coisas giras e engraçadas? Quando a instrutora chegou ao pé de mim, estando aqui a gaiata na passadeira. e diz: então, óculos de sol na cabeça!?! A única coisa que pensei foi: óy que eu não vou parar esta merda para ir guardar os óculos ao balneário... e não parei. Acabei a passadeira e buga para a bicicleta. Aí, pronto coloquei os mesmos junto da garrafa de água... e quando acabei a mesma, estando o remo ocupado, resolvi dar uma corrida para ir colocar os óculos no cacifo...

 

Uma quê?????

 

Como já lá disse atrás não ter tido um encontro imediato com o linóleo da sala foi uma sorte! Pernitas de borracha... fui até ao cacifo devagar, a falar sozinha ai que ainda me esbardalho para aqui... e quando voltei já sentia as pernas mais firmes, felizmente!

Ora, estando o remo ainda ocupado, o instrutor sugeriu a que até hoje chamei a maquina do demo: a elíptica. E eu: nunca gostei desse aparelho... e ele vai de dar voltas à cabeça para me arranjar uma alternativa.

 

Para tudo!

 

A partir de hoje vou usar uma t-shirt a dizer

EU TENHO TODO O TEMPO DO MUNDO

 

E propõe o moço: e se fosse aquela ali? Ela simula subir escadas... e eu, toda feliz por escapar à elíptica: Ok, vamos a isso! E ele, faz 10 minutos com nível 3 de dificuldade, e depois chama-me para os alongamentos. Segundos depois o nível estava a 2, e quando bateu nos cinco minutos carreguei duas vezes no stop e ala que é cardoso!

Ui...

Garanto que amanhã saio da bicicleta direto para a elíptica. Sem mimimis!

 

E pronto, fiz um ou dois minutos de alongamentos e tive ordem de soltura.

 

Quando entrei no balneário, estando ali uma senhora um nadinha mais crescida que eu, e que nunca tinha visto (pelo menos que tenha reparado) comentou: parece que vem cansada. Desabei sobre o banco e expirei:

 

- primeiro dia... canudo!...

 

18
Jan18

O Body Balance na minha vida (a long, long time ago)

Fátima Bento

Este post da Mula fez-me lembrar de uma gaita que me aconteceu há uns anos atrás, mais propriamente há 11 anos e uns meses. Saía eu da faculdade e ali mesmo, em frente a Santa Apolónia, havia uma sarjeta partida e o meu pé que estava no asfalto escorregou para dentro dela. E segundos depois saiu de lá assim:

 

transferir (1).jpg

 

Se eu fosse uma rapariga atinadinha, com bom senso e sem Síndrome de Wonder Woman, chamava o INEM e levavam-me para o Hospital. Mas não. Apesar de não conseguir encostar o pé no chão sem desmaiar de dor, entrei no bus, o colega que estava comigo insistiu em levar-me ao Cais do Sodré - servindo de apoio enquanto eu saltava ao pé coxinho, ao mesmo tempo que eu garantia que o meu pai me esperava no cais fluvial do Seixal. 

Não sei como consegui entrar no barco, muito menos sair e ir até ao automóvel, mas a coisa fez-se. Acabei por ir ao hospital (duh!) e foi-me diagnosticada uma bursite, duas semanas de pé ao alto, e quando o voltasse a pôr no chão, canadianas, im-pre-te-ri-vel-men-te. Isso e mal fosse possível, aí um mês ou mês e meio depois, fisioterapia.

 

Bom, eu fiquei dez dias em casa, mas passado esse tempo voltei para a faculdade. O ISPA tinha elevador, e nas aulas punha a perna sobre uma cadeira. Andei janadinha das ideias com tanto anti inflamatório e analgésico... agora, nem comprei as canadianas, que devem cá dar um jeitaço #sóquenão... e fugi da fisioterapia. Literalmente. O médico  bem me perguntava: já estás a fazer? e eu ah, tenho de lá ir ver... (tá bem abelha...

 

Aconteceu nesta altura eu e o marido ingressarmos num ginásio pequeno onde ele fazia cardio e Body Combat, e eu fazia Body Balance. De meia elástica, e sem forçar posturas sobre aquele pé.

 

O mestre, era fabuloso (e digo isto quando tive outros mais tarde, e nenhum chegou nem perto)

 

Os médicos insistiam que uma bursite era uma coisa muito séria e que eu tinha de fazer fisio, e mesmo assim que me mentalizasse que de tempos a tempos aquela coisa ia criar liquido que tinha de ser drenado. Pois que sim.

 

Eu continuava com o Body Balance. E a usar o pé sensível até conseguir (equilíbrio daquele lado, até hoje, não tenho tanto como do outro). E depois forçar só mais um bocadinho... e mais um bocadinho...

 

Foram uns meses. O BB foi a minha fisioterapia. Dores (era mais desconforto), só quando o tempo mudava e/ou aumentava a humidade no ar. De resto, não tive quaisquer problemas.

 

Hoje, quase 12 anos depois, nunca criei liquido, pelo que não sei o que é fazer essa tal drenagem (sei que é doloroso). Lembro-me do ocorrido e tenho uma vaga memória das dores absurdas quando tirei o pé do  buraco, e até ser medicada. E tenho umas saudades que dão dó daquelas aulas de body balance.

 

E pensar que quando comecei, nem podia usar uma perna...

 

(tentei em mais dois ginásios e desisti; comecei pelo melhor mestre... há coisas que só resultam quando feitas com amor... não quando se dá a aula como se fosse uma como qualquer outra...)

 

Nota: não serve isto para aconselhar ninguém a fazer o que fiz; comigo resultou, mas podia não ter resultado. Eu estava atenta ao meu corpo, e ciente dos riscos que corria. Não façam nada disto se o vosso médico não aconselhar; para maluca já chego eu...

 

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

...porque outubro é quando quisermos...

mini.JPG

 

Pesquisar

A ler agora

pet.JPG

 

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sigam-me aqui:

Bloglovin.JPG

 

Instagramem-me:

Aqui e agora