Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Leituras em 2017

18.03.17 | Fátima Bento | ver comentários (2)
Este ano, em termos de leituras, promete. Não falemos de números, que é coisa que me diz muito pouco - ou nada.   Ora guardei o último Zafón (comprado no dia em que saiu, haja coragem para tão longa espera), para primeira leitura do ano. Ainda não escrevi sobre ele, (...)

Perguntem a Sarah Gross - tanto, mas tanto...

22.09.15 | Fátima Bento | ver comentários (5)
Já disse e escrevi isto um sem número de vezes, e vou repetir-me: as unanimidades assustam-me. Não é bem assustar, é mais deixar-me 'de pulga atrás da orelha'... quais são as probabilidades de toda a gente gostar da mesma coisa? Foi com esse espírito, o de 'vamos (...)

Mais uma volta, mais uma corrida...

10.03.15 | Fátima Bento | ver comentários (4)
Isto para escrever não anda bom. As coisas (i.e. a minha vida e o que faz parte dela) andam num sentido um bocadinho inverso ao dos ponteiros do relógio, para não dizer que andam a inverter o seu curso natural e positivo a 180º. E é difícil chegar aqui e pôr-me a (...)

Vamos brincar ao faz de conta?

06.03.15 | Fátima Bento | comentar
Estavam com medo que eu me tivesse perdido na fibra (pois, que cabo, já era) e que não me voltassem a pôr a vista em cima? Hélas, não têm essa sorte (muahahahahahahah...) Pois que tenho andado num reboliço de alegrias e tristezas, progressos e desgraceiras, e tudo (...)

Há livros de que tenho medo.

21.11.14 | Fátima Bento | ver comentários (3)
Bom, tendo em conta que andei a ler que nem uma lunática, e agora estou um bocadinho cansada de livros (jamais, mas neste momento necessito de uma pausa) começa a ser altura de falar de cada autor e/ou livro que li. [Calma, não vou afogar ninguém em (...)

E agora????

21.10.14 | Fátima Bento | comentar
No meio deste 'turmoil' todo que nos tem abananado as entranhas, uma frase comum aqui ao casal maravilha é: "o que nos vale são os livros". A serio, não fora a viagem onírica diária que fazemos... nem sei que vos diga. Aliás, até sei mas não digo, deixemos imperar o (...)