Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

Porque Eu Posso

... e 'mái nada!

02
Fev17

Retiro de Fevereiro #2 - Chegada e entrada

Fátima Bento

Chego. Opto pelo estacionamento coberto (o Rocinante, merece o miminho da cobertura, dada a idade e maleitas a ela associadas de que o quero precaver). No estacionamento várias placas GRANDES indicavam, com setas, "entrada do Hotel". Tirei as traquitanas da bagageira - nomeadamente a mala de cabine e o necessaire, e seguindo as setas dou comigo no exterior

c'um ráio, não podiam facilitar e fazer uma entrada direta por dentro?

 

mas como o ano passado tive de andar uns bons metros na rua até entrar no Evidência, lá me aproximei da placa e segui a indicação da seta que... acabava numa parede. Juro.

 

Ora depois de me ver às voltas, o senhor que estava num cubiculo no estacionamento saiu e veio perguntar-me se precisava de ajuda.

 

E é nesta altura que nos passa pela cabeça  por um fragmento de segundo a vontade de dizer

"Ná, estou só a apreciar a paisagem e a respirar ar puro!..."

 

 

vontade que engolimos às pressas enquanto, com o nosso melhor sorriso dizemos que procuramos a entrada.

E pergunta o senhor " do SPA ou do hotel?"

 

E é nesta altura que nos passa pela cabeça por um fragmento de segundo a vontade de agarrar

na bagagem e lha botar nas... mãos e perguntar "o que é que acha?"

 

 

 vontade que engolimos às pressas enquanto, com o nosso melhor sorriso dizemos HOTEL.

 

E não é que havia, de fato, uma entrada interior? Com uma placa com 1/6 do tamanho das outras, por cima de uma das portas dizia "Acesso ao Hotel" (ou qualquer coisa parecida). E acompanhou-me até ao elevador e indicou-me qual o piso da receção.

 

Lá se redimiu do descalabro inicial...

 

08
Dez16

VOU CONTINUAR A GARANTIR QUE SOU SUPER-HIPER-MEGA PACIENTE; OK????

Fátima Bento

ImageGen.jpg

 

 

Segunda feira fui ao médico - rotina - na Luz Setúbal (aka Hospital de Santiago, aka Hospor), consulta marcada para as 10:20h, requerendo a comparência 30 minutos antes para fazer o registo. Certíssimo, antes das dez menos um quarto já tinha a senha das consultas na mão, e esperava ser chamada ao balcão para entregar a documentação e afins.

Depois, mudámos (com o marido de férias, andamos juntos quase sempre) de sala de espera. E esperámos.Esperámos. Esperámos...

Ora eu que tinha ido armada até aos dentes de material de leitura (assino duas revistas britânicas em formato digital, pelo que me basta o tablet), às tantas já trocava os olhos de tanto ler. 

E lá fui ter com a assistente que está no pc no corredor dos consultórios, dei-lhe o meu nome, o do médico, marcação 10:20h, ela pede-me um minuto, volto à cadeira e ela da entrada diz-me três pessoas. À minha frente. Eram 11:20h.

 

Ora eu já aqui tenho dito que sou uma gaja muita paciente. Sou. Mas é que sou mesmo. Mas, caramba, naquela noite tinha dormido pouco e mal, tínhamos chegado a horas, tudo by the book e passada uma hora da marcação, DEPOIS de perguntar, dizem-me que tenho 3 pessoas à frente???

Eu sozinha tinha fechado a fronha e a matraca, mas tinha com quem falar, pelo que desabafei - num tom de voz normal de quem está aborrecido - com o cara metade que mas porque é que marcam hora? dizem que é 'a partir de', a gente vem, tira senha, e espera, canudo!

O Victor, que sabe que NUNCA me passo mas quando me passo é a desgraça pode não ser bonito, já sonhava em colocar fita cola de embalar nos meus lábios, ou isso, que eu parecia uma bomba relógio... 60 segundos depois, aparece a mesma assistente: olhe, já só tem uma pessoa, pode sentar-se em frente ao gabinete do doutor, é logo a seguir à senhora que lá está sentada 

 

isto de uma pessoa se passar às vezes resulta  !

 

Deixei tudo com o marido, agarrei no telemóvel, que tem um jogo - só um e chega! e fui.

 

Ó meus amores!!!!!

 

Nas cadeiras estava sentado um casal para entrar antes de mim. Duas pessoas, portanto. O que seria indiferente, dado que era só uma consulta, não fora o primeiro dia que tinham deixado as criaturas sair à rua em, p'raí, um ano. No mínimo.

As três cadeiras formam um bloco, de modo que se um espirra, três abanam. Agora imaginem dois à gargalhada - à vez ou em unissono (e daqueles que riem com o corpo todo, se soerguem e atiram para cima da cadeira...) e eu que já estava tão bem dispostinha, hein?

Para "piorar", a pessoa que estava no gabinete devia ser um caso complicado, tanto que às tantas já lá estavam dois médicos dentro.

EU não me importo (JURO!!!) de esperar, mas onde é que se tiravam as pilhas àqueles dois??????? Eu, de fones nos ouvidos e botas western nos pés, passei a bater os pés ao compasso da musica quando eles exageravam, e as criaturas acalmavam. Eu parava. E eles recomeçavam.

 

20 minutos.

 

Um recorde...

 

Bufei e saí disparada pelo corredor (nem imagino o barulho das botas nos ladrilhos, que o volume da musica ia quase no máximo), e vou beber água ao pé do marido, antes de estrangular alguém.

 

Dasse! Antes uma dúzia de criancinhas de 2/3 anos que esses têm desculpa! 

 

Respiro fundo e volto ao meu lugar - que estava isoladinho, com duas cadeiras vazias ao lado! Ó felicidade! Enchi e esvaziei a caixa toraxica todinha.

Quando entrei para o gabinete, o senhor doutor já tinha sido informado do meu mau humor (só lhe faltava saber porquê, mas ficámos por aí) e explicou-me que tinha estado sem sistema informático durante duas horas, pelo que, ou nos mandava a todos embora ou fazia-nos esperar, mas que compreendia completamente a minha posição (soubera ele mais de que da missa o terço...). Mas adiante que o homem tinha as consultas muito atrasadas, e eu não ia empatar a coisa. Foi super atencioso, no final levou-me à porta com o braço sobre o meu ombro, deu-me dois beijinhos, um de feliz Natal e outro de ótimo Ano Novo.

 

Calma como um lago de nenúfares (quase), voltei à sala, peguei nas tralhas, tirei a senha de pagamentos e esperei para completar a ação. 

 

Mas até agora estou com vontade de pregar um par de galhetas aquele casal de criancinhas mal educadas na casa dos 30. Eish...

 

Só fiquei com uma dúvida que, não estivera tão furiosa e desatinada com o comportamento das abéculas, e tê-lo -ia colocado no balcão... 

 

PORQUE É QUE, na sala de espera, não nos informaram do ocorrido, do motivo do atraso? Teríamos ficado todos mais conformados e calmos, alguns que não pudessem esperar, teriam desistido antes de estar perto de entrar em combustão espontânea... ganhávamos todos, não era? AQUELA MERDA É PRIVADA. Tem acordo com subsistemas de saúde E com práticamete todas as seguradoras E há gente que vai ali particularmente porque o seu médico passou a dar consultas ali e não se importam de pagar o preço da tabela. 

 

NÃO MERECEREMOS ESSE RESPEITO????

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

...porque outubro é quando quisermos...

mini.JPG

 

Pesquisar

A ler agora

kinsella.png

 

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sigam-me aqui:

Bloglovin.JPG

 

Instagramem-me:

Aqui e agora